Síntese do Município

Dados Gerais

População estimada 2016
6.193 pessoas
Área da unidade territorial 2015
414,782 km²
Densidade demográfica 2010
13,96 hab/km²
Prefeito 2017
GUILHERME CARVALHO DA SILVA

Histórico

Leia
SILVEIRAS SÃO PAULO HISTÓRICO Localizada entre os rios Paraíba e Paraitinga, Silveiras teve início do seu povoamento no pouso de tropeiros à beira da Estrada da Corte, conhecido como 'Pouso do Ventura'. As primeiras famílias que para lá se deslocaram e se fixaram com intuito de colonização, por volta de 1800, foram Rego Barbosa, Rego da Silveira, Antônio Silveira Guimarães e Bueno da Cunha. Iniciou-se então o povoado dos 'Silveiras' à beira da estrada para o Rio de Janeiro, em território da Vila de Lorena, embora quanto ao nome, os Silveiras não fossem os mais numerosos na localidade. O núcleo passou a atrair novos moradores, de modo que em dezembro de 1830 o bairro dos Silveiras foi elevado à categoria de Freguesia, na qual se instalou a paróquia de Nossa Senhora da Conceição dos Silveiras. A Vila de Silveiras foi instituída em fevereiro de 1842, mas sua instalação deu-se somente em 1845, por ter sofrido intervenção Imperial em virtude da Revolução Liberal. GENTÍLICO: SILVEIRENSE FORMAÇÃO ADMINISTRATIVA Distrito criado por Decreto de 09 de dezembro de 1830. Elevado à categoria de Município com denominação de Silveiras, por Lei Provincial nº 12, de 28 de fevereiro de 1842, desmembrado de Lorena. Constituído do Distrito sede: Silveiras. Cidade por Lei Provincial nº 1, de 22 de fevereiro de 1864. Em divisão administrativa do Brasil referente ao ano de 1911, o Município de Silveiras se compunha de 1 único Distrito, Silveiras. Assim permanecendo em divisão administrativa referente ao ano de 1933. Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, bem como no quadro anexo ao Decreto-lei Estadual nº 9073, de 31 de março de 1938, o Município de Silveiras compreende o único termo judiciário da comarca de Silveiras e figura com 1 só Distrito, Silveiras. No quadro fixado, pelo Decreto Estadual nº 9775, de 30 de novembro de 1938, para 1939-1943, o Município de Silveiras é composto de 1 único Distrito, Silveiras e pertence ao termo de Cachoeira, da comarca de Cachoeira. Em virtude do Decreto-lei Estadual nº 14334, de 30 de novembro de 1944, que fixou o quadro territorial para vigorar em 1945-1948, o Município de Silveiras ficou composto de 1 Distrito, Silveiras comarca de Valparaíba (ex-Cachoeira). Assim permanece nos quadros fixados pelas Leis nos 233, de 24-XII-48 e 2456, de 30­XII-53 para vigorar, respectivamente, nos períodos 1949-53 e 1954-58. Sendo que Valparaíba teve sua denominação alterada para Cachoeira Paulista. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 01-VII-1960. UM POUCO MAIS DE HISTÓRIA FONTE: www.circuitovalehistorico.com.br Município de 5.500 habitantes, sendo área de proteção ambiental (APA estadual), é o Portal do Vale Histórico para quem entra pela Rodovia dos Tropeiros e um dos portais de entrada do Parque Nacional da Serra da Bocaina. A totalidade do município é área de proteção ambiental, sendo grande parte coberta por vegetação natural. Concentra várias cachoeiras e cursos d?água, além de ter na divisa de suas terras com a cidade de Areias a nascente do Rio Paraitinga. Silveiras é um município que abriga a tradição tropeira, representada nos monumentos, construções, gastronomia e manifestações culturais de seu povo. A cidade fica a uma altitude de 615 metros e possui uma área de 414.698 m². A economia gira em torno da pecuária leiteira e do artesanato (entalhe/pintura em madeira), que produz desde animais silvestres (pássaros e peixes) até utensílios domésticos e brinquedos educativos. Além disso, Silveiras guarda no centro da cidade alguns edifícios e monumentos de grande valor histórico que caracterizam a cidade como sede do Tropeirismo no Vale. Têm em suas paisagens marcas da participação ativa na história política brasileira: as trincheiras usadas na Revolução Liberal de 1842 e a Revolução Constituinte de 1932. Ademais, o município concentra em suas terras o ?Caminho Novo da Piedade à Santa Cruz?, parte do Caminho Velho da Estrada Real, usado pelos tropeiros, fundadores do município por volta de 1725, para transporte do ouro das Minas Gerais até o porto de Paraty.

Economia

Educação

Frota

População

Saúde

QR code
{ "codmun": "3552007" }