Síntese do Município

Dados Gerais

População estimada 2016
41.473 pessoas
Área da unidade territorial 2015
490,857 km²
Densidade demográfica 2010
77,53 hab/km²
Prefeito 2017
DANIEL HINNAH

Histórico

Leia
Panambi Rio Grande do Sul ? RS Histórico Os primeiros informes sobre a existência de moradores civilizados nas terras que hoje formam o município de Panambi, são de 1835, com o estabelecimento de um certo Manoel José da Encarnação (presumivelmente o habitante mais velho), na localidade que hoje leva o seu nome. Sabe-se também que na localidade de Boa Vista se estabeleceu no ano de 1858 o português João Luiz Malheiros, tronco da tradicional família Malheiros, ao qual se devem os primeiros movimentos religiosos na região. No local onde mais tarde se formaria o núcleo da colônia, residia Chico Bairros, conhecido na região como saleiro, que viajava a Bagé, Botucaraí e Santa Maria, onde trocava mate por sal, que por sua vez era vendido em Cruz Alta. Possivelmente se dava a ele a primeira denominação da área que medida por agrimensores, em 1888 teria sido por estes denominada de Salina talvez porque nessa região morasse um saleiro ou porque aí se espalhasse sal nas pastagens para a alimentação do gado. O início do povoamento ocorreu nos últimos anos do século passado, quando o Geólogo Alemão Doutor Hermann Meyer, natural de Leipzig, Alemanha, liderando um grupo de família originárias daquele país fundou uma colônia a que chamou ?Neu Würtemberg?. Cidadão culto e de grande tino comercial adquiriu, mediante contrato de compra, celebrado a 31 de agosto de 1898, por intermédio de seu procurador Carlos Dhein, duas posses situadas no então quarto distrito de município de Cruz Alta. Os vendedores eram o casal José Joaquim dos Santos Lima e a viúva Maria da Silva Moraes, os quais venderam 4.062.362 m² de terras e 5.445.000, respectivamente. Em 1888, agrimensores que estavam realizando medições na região denominaram o lugar de Salina, O nome de Neu Würtemberg foi escolhido por seu fundador, Dr. Hermann Meyer, pela razão de ser um de seus principais conselheiros em assuntos de colonização, natural de Würtemberg. Posteriormente recebeu as denominações de: Elsenau, em homenagem à esposa do fundador que se chamava de ELSA, Pindorama, outro nome que o então distrito recebeu significando ¨Terra das Palmeiras¨, Tabapirã, denominação efêmera que significa ¨Aldeia dos Telhados Vermelhos¨. e finalmente Panambi, que no idioma guarani quer dizer ¨Borboleta Azul¨ Em 1º de maio de 1899, concretizou-se a aquisição mais importante de terras: 12.901.055 m² comprados de Francisco Manoel de Barros. Totalizavam 60 as colônias que Francisco Manoel de Barros obtivera do governo em 1888. Atualmente é zona urbana do município. O primeiro núcleo de moradores do atual município de Panambi constituía-se dos cidadãos José da Encarnação, Jacob Bock, Peter Bock e Ernst Müller. A 7 de agosto de 1899 chega a segunda leva de colonos que se estabeleceu na atual sede do município. Todos os colonos com exceção de um, eram descendentes de pomeranos, residentes em São Lourenço e Pelotas: Germano Venske, Augusto Schmidt, Augusto Steinhorst e Germano Goeks. Panambi surgiu, como núcleo colonial, devido a migrações internas, pois sua população é constituída em grande parte por brasileiros de origem alemã. Durante os dois primeiros períodos imigração, de 1889 a 1905 e de 1911 a 1914, estabeleceram-se nos vastos campos de seu território quase exclusivamente colonos oriundos de municípios gaúchos. A 6 de outubro de 1899, Hermann Meyer dissolveu a sociedade que tinha com Carlos Dhein, para em 6 de janeiro de 1900, fundar a ¨Empresa de Colonização Dr. Hermann Mayer¨. Inicia-se assim nova fase da colônia Neu Würtemberg. Em 1901 o Dr. Hermann Mayer contrata como colaborador, o jovem teólogo, Secretário da Escola Colonial de Witzennhausen, Hermann Faulhaber, natural de Würtemberg, na Alemanha. Este homem sumamente prático , ativo e enérgico , seria pessoa indicada para a colônia. Impunha-se a criação de curato Faulhaber assumiu a direção do mesmo, após a fundação. Uma terceira leva de imigrantes chegou à colônia depois da primeira guerra mundial. Os imigrantes entre os anos de 1921 e 1926 eram em sua maioria alemães natos: 176 famílias, com 650 pessoas, das quais três quartos eram seguramente de Würtemberg. Ocupou esta leva de imigrantes os lotes disponíveis da colônia, trazendo com conseqüência grande progresso à mesma. A Sra. Maria Faulheber, esposa de Hermann Faulhaber, prestou relevantes serviços à colônia, dotada de extraordinário talento pedagógico e possuidora de vasta cultura, foi auxiliar inteligente e enérgica de seu marido. Fundou a primeira escola de Neu Würtemberg em 8 de fevereiro de 1903. Após a morte de Hermann Faulhaber, em julho de 1926, foi nomeado para sucedê-lo o Sr. Eduard Hempe. Durante as revoluções que ensangüentaram o Rio Grande do Sul, mais uma vez, a colônia esteve ameaçada. Na manhã de 14 de maio de 1923 Panambi foi assaltada e saqueada por mais de cem homens das fôrças sediciosas. Tal acontecimento não se repetiu, pois em íntima colaboração com as autoridades civis e militares organizou-se imediatamente o serviço de defesa própria, que em breve atingiu 800 homens, havendo além disso uma força de reserva orçada em 110 homens. Um fato digno de registro ocorreu na colônia, por ocasião da revolução de 1923, quando o General rebelde Leonel Rocha se aproximava da colônia com uma fôrça revolucionária de 800 a mil homens. A colônia foi salva por uma fôrça organizada na região e por um pequeno contingente de fôrças do Exército. A 14 de dezembro de 1923 era firmado, finalmente, o pacto das Pedras Altas, que pôs fim à revolução. Eclodindo um ano mais tarde a Revolução de 1924 mostrou o Serviço de Defesa Própria mais uma vez sua eficiência. Durante a revolução de 1930, cerca de 200 voluntários apresentaram-se para lutar. Gentílico: panambiense Formação Administrativa Em 1º de maio de 1916 foi elevada à categoria de distrito a colônia de Neu Würtemberg, como parte integrante do município de Cruz Alta. No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, aparece no município de Cruz Alta, o distrito com a denominação de Pindorama antiga colônia Neu Würtemberg. Pelo decreto-lei estadual nº 720, de 29-12-1944, o distrito de Pindorama passou a denominar-se Panambi. Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o distrito de Panambi permanece no município de Cruz Alta. Em 1949 seus habitantes levantaram a bandeira da emancipação, que só foi vitoriosa, depois de uma árdua e longa campanha, em 15 de novembro de 1954. Elevado à categoria de município com a denominação de Panambi, pela lei estadual nº 2524, de 15-12-1954, desmembrado de Cruz Alta. Sede no antigo distrito de Panambi. Em divisão territorial datada de 1-VII-1955, o município é constituído de 2 distritos: Panambi e Condor. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960. Pela lei estadual nº 5094, de 17-11-1965, desmembra do município de Panambi o distrito de Condor elevado à categoria de município. Em divisão territorial datada de 1-I-1979, o município é constituído do distrito Sede. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007. Alteração toponímica distrital Pindorama para Panambi alterado, pelo decreto-lei estadual nº 720, de 29-12-1944.

Economia

Educação

Frota

População

Saúde

QR code
{ "codmun": "4313904" }