Aniversários dos Municípios
< Voltar
Selecionar local
Estados
Municípios
Todos
Por estado
Selecione o estado:
  • Acre
  • Alagoas
  • Amapá
  • Amazonas
  • Bahia
  • Ceará
  • Distrito Federal
  • Espírito Santo
  • Goiás
  • Maranhão
  • Mato Grosso
  • Mato Grosso do Sul
  • Minas Gerais
  • Paraná
  • Paraíba
  • Pará
  • Pernambuco
  • Piauí
  • Rio Grande do Norte
  • Rio Grande do Sul
  • Rio de Janeiro
  • Rondônia
  • Roraima
  • Santa Catarina
  • Sergipe
  • São Paulo
  • Tocantins
0 de 5570 municípios

Nenhum município encontrado.

Nenhum município encontrado.

Prefeitura Municipal : Boca do Acre, AM - [19--]
Praça da Liberdade : Boca do Acre, AM - [19--]
Avenida 15 de Novembro : [vista parcial da cidade] : Boca do Acre, AM - [19--]
Rua Getúlio Vargas : [vista parcial da cidade] : Boca do Acre, AM - [19--]
Delegacia de Polícia : Boca do Acre, AM - [19--]
Mercado Municipal : Boca do Acre, AM - [19--]

História

As terras que constituíam o município de Boca do Acre eram habitadas pelos índios Capanas e Aripuanãs.
Em 3 de fevereiro de 1878, ancorou nas proximidades da confluência dos rios Acre com rio Purus o navio Anajás, da Companhia de Navegação do Rio Amazonas, sob o comando do piloto Carepa, tendo como chefe da expedição o Comendador João Gabriel de Carvalho e Melo, que já havia adquirido fortuna explorando borracha, vindo explorar também, as terras do município de Boca do Acre. Ele e seus companheiros instalaram-se em diversos pontos do território que hoje constitui o município Boca do Acre. Onde se acha situada a cidade, instalou-se Alexandre de Oliveira Lima, cognominado o Barão de Boca do Acre. Na vila de Floriano Peixoto (ex-Antimari) que foi primitivamente a sede do município, instalaram-se Antônio Escolástico e Firmino Alves dos Santos.

Formação Administrativa

Em 22 de outubro de 1890, segundo Decreto n.° 67, foram criados o município e vila, com a denominação de Antimari em território desmembrado do de Lábrea.
A Lei Estadual n.° 110, de 28 de março de 1895, extinguiu o município, depois restaurado em 15 de maio de 1897, segundo Lei n.° 166, com o nome de Floriano Peixoto e reinstalado em 01 de agosto do mesmo ano.
Em 1898, conforme Decreto Estadual n.° 232, de 9 de março, a sede municipal foi transferida para um planalto, à margem esquerda do rio Purus.
A Lei municipal n.° 8, de 18 de setembro de 1902, criou o distrito de Boca do Acre.
Por força do Ato n.° 3.462, de 2 de maio de 1934, a sede municipal de Floriano Peixoto transferiu-se para o distrito de Boca do Acre, cuja sede foi elevada à categoria de vila, em face de Ato n.° 3.331, de 27 de março do mesmo ano.
Na divisão territorial referente à 1936, Floriano Peixoto tem sede em Santa Maria da Boca do Acre e constitui-se de um só distrito, o de Floriano Peixoto.
De acordo com os Decretos-leis Estaduais números 68 e 69, de 31 de março de 1938, o Município passou a denominar-se Santa Maria da Boca do Acre, com sede na cidade de igual nome e figurava com um só distrito.
Em virtude do Decreto- lei Estadual n.° 176, de 1 de dezembro de 1938, o município e distrito tiveram seus topônimos simplificados para Boca do Acre. Esse decreto criou o distrito de Floriano Peixoto, com território desmembrado do distrito-sede.
Segundo o Decreto-lei Federal n.° 5.812, de 13 de setembro de 1943, o Município adquiriu parte do de Lábrea, quando da transferência deste para o Território Federal do Guaporé.
Atualmente Boca do Acre possui dois distritos, o da sede e o de Floriano Peixoto.
Município foi, a princípio, termo da Comarca do Canutama. Passou depois à sede de comarca, extinta e restaurada por várias vezes. Sua última instalação ocorreu a 16 de abril de 1926.
Distrito criado com a denominação de Boca do Acre, pela Lei Municipal n.° 8, de 18-09-1902, subordinado ao município de Floriano Peixoto.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o distrito de Boca do Acre figura no município de Floriano Peixoto.
Assim permanecendo em divisão administrativa referente ao ano de 1933.
Elevado à condição de vila com a denominação de Boca do Acre, pelo ato 3.331, de 27-03-1934.
Pelo Ato n.º 3.462, de 02-05-1934, Boca do Acre passou à condição de sede do município de Floriano Peixoto.
Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o município de Boca do Acre é constituído do distrito sede.
Pelo Decreto- lei Estadual n.º 68, de 31-03-1938, que deu execução do Decreto-lei Federal n.º 311, de 02-03-1938, mudou a denominação de Boca do Acre para Santa Maria da Boca do Acre.
Pelo Decreto-lei Estadual n.º 176, de 01-12-1938, o município de Santa Maria da Boca do Acre voltou a chamar-se simplesmente Boca do Acre. O Decreto-lei acima citado cria o distrito de Floriano Peixoto anexando-o a município de Boca do Acre (ex-Santa Maria da Boca do Acre).
Pelo Decreto- lei Estadual n.º 1.186, 31-12-1943, é criado o distrito de Boca do Tuini, com território desmembrado do distrito sede do município de Lábrea e anexado ao município de Boca do Acre.
No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 3 distritos: Boca do Acre, Boca do Tuini e Floriano Peixoto.
Pelo Decreto-lei Federal n.º 6.550, de 31-05-1944, é extinto o distrito de Boca do Tuini, sendo seu território anexado ao distrito sede do município de Lábrea.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 2 distritos: Boca do Acre e Floriano Peixoto.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2009.

Fonte

Biblioteca Virtual do Amazonas. 2012. Disponível em: www.bv.am.gov.br/portal/conteudo/municipios. Acesso em: mar. 2012.
© 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística | v4.3.18.4