Aniversários dos Municípios
< Voltar
Selecionar local
Estados
Municípios
Todos
Por estado
Selecione o estado:
  • Acre
  • Alagoas
  • Amapá
  • Amazonas
  • Bahia
  • Ceará
  • Distrito Federal
  • Espírito Santo
  • Goiás
  • Maranhão
  • Mato Grosso
  • Mato Grosso do Sul
  • Minas Gerais
  • Paraná
  • Paraíba
  • Pará
  • Pernambuco
  • Piauí
  • Rio Grande do Norte
  • Rio Grande do Sul
  • Rio de Janeiro
  • Rondônia
  • Roraima
  • Santa Catarina
  • Sergipe
  • São Paulo
  • Tocantins
0 de 5570 municípios

Nenhum município encontrado.

Nenhum município encontrado.

Fotos

Artesão no Povoado de Patos em Santo Estevão (BA) - fev. 1962
Roça e cerca viva no Povoado de Patos em Santo Estevão (BA) - 1962
Roça no Povoado de Patos em Santo Estevão (BA) - 1962
Cerca viva no Povoado de Patos em Santo Estevão (BA) - fev. 1962
Cerca viva no Povoado de Patos em Santo Estevão (BA) - fev. 1962
Coreto da Praça da Bandeira : Santo Estêvão, BA - [19--]
Veja mais fotos

História

No século XVIII, chega ao Brasil navio com imigrantes portugueses, entre eles o padre José da Costa Almeida, vindo fixar-se em terras do município de Cachoeira do Paraguaçu, às margens do rio Cavaco, com aproximadamente 3 léguas de terra, possuindo uma sesmaria, na região hoje conhecida por Santo Estevão Velho, onde construiu a sede da fazenda e uma pequena Capela sob o orago de Santo Estevão, imagem trazida de Portugal.
Tempo depois, em 1739, fugindo da seca que assolava a região, o padre José da Costa Almeida envereda sem destino a procura de água doce para si e seu rebanho. Quilômetros depois ele é surpreendido por uma verde vegetação e um forte manancial, porém a água era salobre, levemente salgada, daí o nome “riacho do salgado”. Deixando os animais e empregados às margens do Riacho do Salgado, o padre José da Costa Almeida sobe o morro e descobre o planalto onde hoje é a Praça da Lua. Constrói então sua segunda sede, com casa, currais e pequena capela igualmente a primeira, sob o orago de Santo Estevão. Vai buscar a imagem do santo que estava na primeira capela, para colocar na nova. Só que no dia seguinte não se sabe como, a imagem havia voltado para a primeira capela. Este fato repetiu-se duas vezes. Na terceira vez o padre não insistiu, deixando a imagem onde estava e trazendo outra de Santo Antônio de Lisboa, em Portugal. Dando origem, naquela época, ao nome do lugar Santo Estevão Novo.
Construída a capela em 1751 e dedicada a Santo Estevão, foi, em 1754, elevada à categoria de freguesia de Santo Estevão de Jacuípe. Sua formação territorial de inicio, 20 léguas de circunferência e estava situada entre os rios Paraguaçu e Jacuípe, este limitando-se norte com a de Nossa Senhora do Rosário da Cachoeira, e aquele ao sul dividindo-a da de São Pedro de Muritiba. Devido ao descaso do Padre José da Costa Almeida, que não ficara contente com a elevação da capela à freguesia, ficou ela em ruínas. O povoado Santo Estevão Novo só veio a desenvolver-se depois do ano de 1757, ano em que o 1º vigário, padre Antônio Rodrigues Nogueira, descrevendo a freguesia de Santo Estevão de Jacuípe, relata: “aqui não há povoação, nem rebanho junto, porque tudo são ovelhas desgarradas pelas distâncias em que moram uns dos outros”. Também nessa época, o referido vigário fez referência à capela inicial que estava arruinada e que “só não são deixados de administrar os sacramentos aos paroquianos porque os administro em casa de palha onde resido”. Parte daí o movimento para construção da igreja Matriz, que foi concluída muitos anos depois.

Formação Administrativa

Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, figura no município de Cachoeira o distrito de Santo Estêvão do Jacuípe. Assim permanecendo nos quadros de apuração do Recenseamento Geral de 1-IX-1920.
Elevado à categoria de município com a denominação de Santo Estêvão do Jacuipe pela Lei Estadual n.º 1.481, de 12-07-1921, sendo desmembrado de Cachoeira. Sede no antigo distrito de Santo Estêvão do Jacuípe. Constituído do distrito sede. Instalada em 21-09-1921.
Pelos Decretos Estaduais n.º 7.455, de 23-06-1931, e n.º 7.479, de 08-07-1931, o município de Santo Estevão do Jacuípe tomou a denominação de Santo Estêvão.
Pelo Decreto Estadual n.º 8.389, de 17-04-1933, é criado o distrito de Patos e anexado ao município de Santo Estêvão.
Em divisão administrativa referente ao no de 1933 o município é constituído de 2 distritos: Santo Estêvão e Patos. Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937.
Pelo Decreto-lei Estadual n.º 141, de 31-12-1943, retificado pelo Decreto Estadual n.º 12.978, de 01-06-1944, o distrito de Patos tomou a denominação de Ipecaetá.
No quadro fixado para vigorar no período de 1944 a 1948 o município é constituído de 2 distritos: Santo Estêvão e Ipecaetá. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1950.
Pela Lei Estadual n.º 628, de 30-12-1953, é criado o distrito de Cavunge, com terras desmembradas do distrito de Ipecaetá, e anexado ao município de Santo Estêvão.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1955 o município é constituído de 3 distritos: Santo Estêvão, Ipecaetá e Cavunge. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960.
A Lei Estadual 1.726, de 19-07-1962, desmembra do município de Santo Estêvão os distritos de Ipecaetá e Cavunge, para constituírem o novo município de Ipecaetá.
Em divisão territorial datada de 31-XII-1963 o município é constituído do distrito sede.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2014.

Fonte

Santo Estevão (BA). Prefeitura. 2015. Disponível em: http://www.santoestevao.ba.gov.br/a-cidade.php. Acesso em: jan. 2016.
© 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística | v4.3.33