Aniversários dos Municípios
< Voltar
Selecionar local
Estados
Municípios
Todos
Por estado
Selecione o estado:
  • Acre
  • Alagoas
  • Amapá
  • Amazonas
  • Bahia
  • Ceará
  • Distrito Federal
  • Espírito Santo
  • Goiás
  • Maranhão
  • Mato Grosso
  • Mato Grosso do Sul
  • Minas Gerais
  • Paraná
  • Paraíba
  • Pará
  • Pernambuco
  • Piauí
  • Rio Grande do Norte
  • Rio Grande do Sul
  • Rio de Janeiro
  • Rondônia
  • Roraima
  • Santa Catarina
  • Sergipe
  • São Paulo
  • Tocantins
0 de 5570 municípios

Nenhum município encontrado.

Nenhum município encontrado.

Açude Cedro : Quixadá, CE - [19--]
Instituto Sagrado Coração de Jesus : Igreja Sagrado Coração de Jesus : Quixadá, CE - 1949
Praça José de Barros : Pedra do Cruzeiro : Quixadá, CE - [19--]
Faculdade João XXIII de Filosofia e Ciências Humanas : Quixadá, CE - [19--]
Canal de drenagem : Quixadá, CE - [19--]
Hospital Municipal : Quixadá, CE - [19--]

História

Quando os devassadores do sertão central do Ceará penetraram na zona compreendida pelo município de Quixadá, encontraram-na senhoreada pelos índios canindés e genipapos, pertencentes ao grupo dos Tarariús.
Tudo indica que essas tribos estiveram aldeadas, na primeira metade da era de seiscentos, na zona montanhosa a sudoeste da atual cidade de Quixadá, onde existiu a primitiva missão de Nossa Senhora da Palma. Posteriormente transferida para a serra de Baturité, essa missão deu origem à vila Monte-Mor-o-Novo-da-América, fundada em 1764.
A colonização da área estudada efetuou-se através de movimento de penetração que, partindo do Jaguaribe, seguira o seu afluente Banabuiú e depois o Sitiá, tributário do Banabuiú, objetivando a conquista de nevas terras para a criação extensiva de gado.
As primeiras sesmarias marginais do Sitiá, rio eminentemente quixadaense, foram concedidas, a partir de 1698, a elementos oriundos das vizinhas capitanias do Rio Grande, Paraíba e Pernambuco, de onde trouxeram suas sementes de gado. Em razão, porém, da resistência do íncola e de outras dificuldades, várias das primitivas concessões caíram em comisso, dando lugar a novas datas, ao iniciar-se no século XVIII. Efetivamente, a ocupação das terras só teve início em 1705, quando Manoel Gomes de Oliveira, André Moreira Barros e outros nelas conseguiram penetrar, vencida a hostilidade indígena .
Em 1641, Manoel da Silva Lima, alegando haver descoberto dois olhos d'água nas ilhargas do Sitiá, requereu e obteve uma sesmaria medindo 'meia légua para cada banda
do riacho e três de comprido por ele acima, pegando nas testadas de Carlos Azevedo, fazendo pião na serra do Pico'.
Essa terra de Carlos Azevedo compreendia o 'Sítio Quixadá', adquirido por compra conforme escritura de 18 de dezembro de 1728. É esta escritura o primeiro documento público em que aparece o topônimo de que se originou a atual forma gráfica de Quixadá.

Formação Administrativa

Distrito criado pela Lei Provincial n.º 1.305, de 05-11-1869, com a denominação de Quixadá, subordinado ao município de Quixeramobim.
Elevado à categoria de vila com a denominação de Quixadá, pela Lei Provincial n.º 1.347, de 27-10-1870, sendo desmembrado do município Quixeramobim. Sede no núcleo de Quixadá. Constituído do distrito sede. Instalado em.
Elevado à categoria de cidade com a denominação de Quixadá pela Lei Provincial n.º 2.166, de 17-08-1889.
Pelo Ato de 13-07-1899 é criado o distrito de Serra de Santo Estevão e anexado ao município de Quixadá.
Pelo Ato de 23-09-1903, é criado o distrito de Serra Azul e anexado ao município de Quixadá.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1911 o município aparece constituído de 4 distritos: Quixadá, Serra Azul, Serra de Santo Estevão e São Francisco da Califórnia.
Pelo Ato de 07-10-1914 é criado o distrito de Tapuiará e anexado ao município de Quixadá.
Nos quadros do Recenseamento Geral 1-IX-1920 o município aparece constituído de 5 distritos: Quixadá, Serra de Santo Estevão, Serra Azul, Tapuiará e Califórnia.
Pela Lei Estadual n.º 2.392, de 08-11-1926, o município de Quixadá adquiriu o extinto município de Laranjeiras e o distrito de Barra do Sitiá, como simples distritos.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1933 o município aparece constituído de 10 distritos: Quixadá, Barra do Sitiá, Caiçarinha, Choró, Floriano Peixoto, Junco, Laranjeiras, Serra Azul, Serra do Estevão e Tapuiará, não figurando o distrito de Califórnia.
Em divisão territorial datada de 31-XII-1936 o município é constituído de 11 distritos: Quixadá, Barra do Sitiá, Caiçarinha, Choró, Custódio, Floriano Peixoto, Laranjeiras, Junco, Serra Azul, Serra do Estevão e Tapuiará, não figurando o distrito de Califórnia.
Pela Lei n.º 406, de 10-10-1937, é criado o distrito de Boa Água e anexado ao município de Quixadá.
Em divisão territorial datada de 31-XII-1937 o município aparece constituído de 12 distritos: Quixadá, Barra do Sitiá, Boa Água, Caiçarinha, Choró, Custódio, Floriano Peixoto, Laranjeiras, Junco, Serra Azul, Serra do Estevão e Tapuiará.
Pelo Decreto Estadual n.º 448, de 20-12-1938, o município de Quixadá sofreu a seguintes modificações: o distrito de Serra Azul passou denominar-se São Luís; o distrito de Barra do Sitiá passou a chamar-se simplesmente Barra; o distrito de Serra de Estevão tomou o nome Estevão; o distrito de Boa Água passou a chamar-se Água Boa e; o distrito de Floriano Peixoto teve o topônimo alterado para Floriano.
Pelo Decreto-lei Estadual n.º 1.114, de 30-12-1943, o distrito de Junco passou a denominar-se Muxiopó; o distrito de Laranjeiras passou a chamar-se Banabuiu; o distrito São Luís tomou o nome de Ibaretama; Floriano mudou de nome para Juatama e Água Boa teve seu topônimo alterado para Rinaré.
No quadro fixado para vigorar no período de 1939 a 1943 o município é constituído de 12 distritos: Quixadá, Barra, Água Boa, Caiçarinha, Choró, Estevão, Custódio, Floriano, Laranjeiras, Junco, Rinaré, São Luis e Tapuiará.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1950 o município aparece constituído de 12 distritos: Quixadá, Banabuiú, Caiçarinha, Choró, Custódio, Estevão, Ibaretama, Muxiopó, Rinaré, Sitiá e Tapuiará.
Pela Lei Estadual n.º 1.153, de 22-11-1951, o distrito de Estevão passou a denominar-se Dom Maurício.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1955 o município é constituído de 12 distritos: Quixadá, Banabuiú, Caiçarinha, Choró, Custódio, Dom Maurício, Ibaretama, Juatama, Muxiopó, Rinaré, Sitiá e Tapuiará.
Pela Lei Estadual n.º 3.326, de 11-06-1957, o distrito de Muxiopó passou a denominar-se Daniel de Queiroz.
A Lei Estadual n.º 4.447, de 02-01-1959, desmembra do município de Quixadá os distritos de Choro, Caiçarinha, Dom Maurício e Daniel Queiroz, para constituírem o novo município de Choró.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1960 o município é constituído de 8 distritos: Quixadá, Banabuiú, Custódio, Ibaretama, Juatama, Rinaré, Sitiá e Tapuiará.
A Lei Estadual n.º 6.709, de 21-10-1963, desmembra do município de Quixadá os distritos de Banabuiú, Rinaré e Sitiá, para constituírem o novo município com denominação de Laranjeiras do Norte.
A Lei Estadual n.º 6.653, de 14-10-1963, desmembra do município de Quixadá o distrito de Ibaretama, elevado à categoria de município.
Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído de 4 distritos: Quixadá, Custódio, Juatama e Tapuiará.
Pela Lei Estadual n.º 8.339, de 14-12-1965, o município de Quixadá adquiriu os extintos municípios e distritos de Banabuiú, Caiçarinha, Choró, Daniel Queiroz, Dom Maurício, Ibaretama, Rinaré, Sitíá, como simples distrito.
Pela Lei Estadual n.º 7.104, de 08-01-1964, é criado o distrito de Cipó dos Anjos e anexado ao município de Quixadá.
Em divisão territorial datada de 31-XII-1968 o município é constituído de 13 distritos: Quixadá, Banabuiú, Caiçarinha, Choró, Cipó dos Anjos, Custódio, Daniel de Queiroz, Dom Maurício, Ibaretama, Juatama, Rinaré, Sitiá e Tapuiará. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 18-VIII-1988.
A Lei Estadual n.º 11.427, de 26-01-1988, desmembra do município de Quixadá os distritos de Banabuiú, Sitiá e Rinaré, para constituírem o novo município de Banabuiú.
A Lei Estadual n.º 11.431, de 08-05-1988, desmembra do município de Quixadá o distrito de Ibaretama, elevado à categoria de município.
Pela Lei Municipal n.º 1.364, de 14-09-1990, é criado o distrito de São João dos Queirozes, com terras desmembradas do distrito de Daniel de Queiroz, e anexado ao município de Quixadá.
Pela Lei Municipal n.º 1.425, de 10-10-1991, é criado o distrito de São Bernardo e anexado ao município de Quixadá.
Em divisão territorial datada de 1991 o município é constituído de 8 distritos: Quixadá, Cipó do Anjos, Custódio, Daniel de Queiróz, Dom Mauricío, Juatama, São João dos Queirozes e Tapuiará.
Pela Lei Municipal n.º 1.528, de 09-09-1993, foram criados os distritos de Califórnia e Juá e anexados ao município de Quixadá.
Em divisão territorial datada de 1995 o município é constituído de 11 distritos: Quixadá, Califórnia, Cipó do Anjos, Custódio, Daniel de Queiróz, Dom Maurício, Juá, Juatama, São Bernardo, São João dos Queirozes e Tapuiará. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 15-VII-1999.
Pela Lei Municipal n.º 1.866, de 06-04-2000, é criado o distrito de Várzea da Onça e anexado ao município de Quixadá.
Pela Lei Municipal n.º 1.940, de 26-10-2000, são criados os distritos de Riacho Verde e de Custódio e anexados ao município de Quixadá.
Em divisão territorial datada de 2003 o município é constituído de 13 distritos: Quixadá, Califórnia, Cipó dos Anjos, Custódio, Daniel de Queiróz, Dom Maurício, Juá, Juatama, Riacho Verde, São Bernardo, São João dos Queirozes, Tapuiará e Várzea da Onça. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2014.

Fonte

Quixadá (CE). In: ENCICLOPÉDIA dos municípios brasileiros. Rio de Janeiro: IBGE, 1959. v. 16. p. 449-455. Disponível em: http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv27295_16.pdf. Acesso em: ago. 2015.
© 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística | v4.3.18.0