Aniversários dos Municípios
< Voltar
Selecionar local
Estados
Municípios
Todos
Por estado
Selecione o estado:
  • Acre
  • Alagoas
  • Amapá
  • Amazonas
  • Bahia
  • Ceará
  • Distrito Federal
  • Espírito Santo
  • Goiás
  • Maranhão
  • Mato Grosso
  • Mato Grosso do Sul
  • Minas Gerais
  • Paraná
  • Paraíba
  • Pará
  • Pernambuco
  • Piauí
  • Rio Grande do Norte
  • Rio Grande do Sul
  • Rio de Janeiro
  • Rondônia
  • Roraima
  • Santa Catarina
  • Sergipe
  • São Paulo
  • Tocantins
0 de 5570 municípios

Nenhum município encontrado.

Nenhum município encontrado.

Fotos

Não há fotos para este município

História

A história de Brazópolis se iniciou quando fazendeiros mineiros da região do Rio Verde adquiriram terras junto a contratores da Mantiqueira; entre eles, o Alferes Antônio Dias Pereira, que comprou parte da antiga fazenda do Bom Sucesso, onde hoje existe o bairro Bom Sucesso.
Em 1810, o então vigário de Soledade de Itajubá, Delfim Moreira, veio tomar posse desta região em nome do bispo de São Paulo. Levantou um cruzeiro no morro do João Bernardes, onde hoje existe o distrito de Estação Dias. Deu a bênção, celebrou missa e fez um assento de posse, fato que foi confirmado mais tarde, em 1813, por documentos da Arquidiocese de São Paulo. Ali havia a antiga fazenda da lage, onde o Padre Atanásio Rodrigues atendia aos moradores em sua capela.
Nessa ocasião, o Padre Lourenço dava início ao povoado da Boa Vista do Sapucaí, hoje Itajubá. Os moradores de toda região o apoiaram e ajudaram nesse projeto, participando dos princípios da nova povoação.
Os fazendeiros e agregados de Vargem Grande, no entanto, pretendiam ter uma capela onde pudessem ter assistência religiosa mais facilmente. Para isso, foi exigida a doação de um terreno para a formação do patrimônio da capela. Dona Ana Chaves e os demais filhos de Francisco Dias Chaves fizeram a doação de 30 alqueires na colina que se erguia à margem do Ribeirão da Vargem Grande. Ali, em 1838, foi construída a primeira capela, bem rústica, dedicada à Sant'Ana, primeira padroeira do lugar.
Mais tarde foi criado o distrito de Capela Curada. Sendo necessário construir nova capela, cujo capelão seria o Padre Atanásio, o Tenente Coronel Caetano Ferreira da Costa ofereceu recursos para a construção, mas exigiu que trocasse o padroeiro de Sant'Ana para São Caetano de Tiene. Fez vir, de Portugual, a imagem que ainda hoje se encontra no altar-mor da atual igreja Matriz. Desde então, a povoação passou a chamar-se São Caetano da Vargem Grande, conforme consta em antigos mapas e documentos.
Em 1909, o povoado passou a chamar-se Vila Braz e finalmente, em 1926, para homenagear o coronel Francisco Braz Pereira Gomes, passou a denominar-se Brazópolis.
Em 1848 foi criado o distrito por Lei Provincial, elevado à categoria de município em 1901.

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de São Caetano da Vargem Grande, pela Lei Provincial n.º 364, de 30-09-1848, e pela Lei Estadual n.º 2, de 14-09-1891.
Elevado à categoria de vila, com a denominação de São Caetano da Vargem Grande, pela Lei Estadual n.º 319, de 16-09-1901. Tendo com sede a povoação de São Caetano da Vargem Grande e sendo instalado em 02-01-1902.
Tomou a denominação de Vila Braz pela Lei Estadual n.º 513, de 11-10-1909.
Pela Lei Estadual n.º 556, de 30-08-1911, é criado o distrito de Piranguinho e anexado à Vila Braz.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, Vila Braz é constituída de 2 distritos: Vila Braz e Piranguinho. Assim permanecendo nos quadros de apuração do recenseamento geral de 1-IX-1920.
Elevado à condição de cidade, com a denominação de Brazópolis, pela Lei Estadual n.º 843, de 07-09-1923.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1933 o município é constituído de 2 distritos: Brazópolis e Piranguinho.
Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o município aparece constituído de 3 distritos: Brazópolis, Candelária e Piranguinho. Assim permanecendo no quadro fixado para vigorar no período de 1939 a 1943.
Pelo Decreto-lei Estadual n.º 1.058, de 31-12-1943, o distrito de Candelária passou a chamar-se Luminosa.
No quadro fixado para vigorara no período de 1944 a 1948, o município é constituído de 3 distritos: Brazópolis, Luminosa e Piranguinho.
Pela Lei Estadual n.º 336, de 27-12-1948, é criado o distrito de Olegário Maciel, com terras desmembradas do distrito de Piranguinho, e anexado ao município de Brazópolis.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 4 distritos: Brazópolis, Luminosa, Olegário Maciel e Piranguiinho.
Pela Lei Estadual n.º 1.039, de 12-12-1953, é criado o distrito de Dias ex-povoado e anexado ao município de Brazópolis.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1955, o município é constituído de 5 distritos: Brazópli, Dias, Luminosa, Olegário Maciel e Piranguinho. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960.
Pela Lei Estadual n.º 2.764, de 30-12-1962, são desmembrados do município de Brazópolis os distritos de Piranguinho e Olegário Maciel, para formarem o novo município de Piranguinho.
Em divisão territorial datada de 31-12- 1963 o município é constituído de 3 distritos: Brazópolis, Dias e Luminosa.
Pela Lei Municipal n.º 131, de 04-08-1967, o município de Brazópolis passou a ser grafado Brasópolis.
Em divisão territorial datada de 31-XII-1968, o município de Brasópolis é constituído de 3 distritos: Brasópolis, Dias e Luminosa. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2014.
A Lei Estadual n.º 18.033, de 2009, muda a grafia do município novamente para Brazópolis (assim grafado na Lei).

Fonte

Brazópolis (MG). Prefeitura. 2015. Disponível em: http://www.brazopolis.mg.gov.br/index.php?pagina=historia. Acesso em: fev. 2015.
© 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística | v4.3.33