Aniversários dos Municípios
< Voltar
Selecionar local
Estados
Municípios
Todos
Por estado
Selecione o estado:
  • Acre
  • Alagoas
  • Amapá
  • Amazonas
  • Bahia
  • Ceará
  • Distrito Federal
  • Espírito Santo
  • Goiás
  • Maranhão
  • Mato Grosso
  • Mato Grosso do Sul
  • Minas Gerais
  • Paraná
  • Paraíba
  • Pará
  • Pernambuco
  • Piauí
  • Rio Grande do Norte
  • Rio Grande do Sul
  • Rio de Janeiro
  • Rondônia
  • Roraima
  • Santa Catarina
  • Sergipe
  • São Paulo
  • Tocantins
0 de 5570 municípios

Nenhum município encontrado.

Nenhum município encontrado.

Fotos

Não há fotos para este município

História

Em passado bastante remoto, existia onde hoje se localizam as Praças Minote Áurea, Cônego Ulisses e Rui Barbosa, um campo alegre e formoso, cercado por mato fechado. Esse campo e esse mato eram cortados pela estrada real que demandava à povoação de Candeias, servindo aquela clareira de refúgio ao viajante cansado. Veio daí o nome de Campo Belo ao pouso, que se transformou em povoação, em arraial, em vila e em cidade, segundo reza lenda que de boca em boca vem do século 17 até os nossos dias. O nome de Campo Belo aquela clareira teria sido dado por Romão Fagundes do Amaral, o qual, ao avistá-la, deslumbrado com sua beleza, exclamou: que Campo Belo!
Mas a primeira denominação oficial do povoado que se formava foi “Ribeirão São João”, motivada pelo ribeirão ali existente.
Onde se situa a cidade de Campo Belo, segundo tudo indica, era uma zona inteiramente inabitada, formando mesmo espessa mata. Acredita-se, que o território no município foi outrora refúgio dos temíveis “cataguases”. Fugindo a tenaz perseguição do audaz bandeirante Feliz Jacques, refugiaram-se eles nos sertões de Tamanduá e de Piuí, conforme conta Diogo de Vasconcelos em “História Antiga”. Ora, sendo o território do município parte dos “Sertões de Tamanduá”, e às margens do Rio Grande, que os “cataguases” estavam descendo em sua fuga, é possível que, onde hoje se situa o povoado de Porto Mendes, à margem do rio Grande, tenha existido aldeamento de índios, pois naquelas paragens foram encontrados pedaços de panelas de barro, que dizem ter pertencido aos indígenas.

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Senhor Bom Jesus de Campo Belo pelo Alvará de 24-09-1818 e pela Lei Estadual n.º 2, de 14-09-1891.
Elevado à categoria de vila com a denominação de Senhor Bom Jesus de Campo Belo, pela Lei Provincial n.º 373, de 09-10-1848. Sede na antiga povoação de Senhor Bom Jesus de Campo Belo.
Pela Lei n.° 472, de 31-05-1850, a vila de Senhor Bom Jesus de Campo Belo é extinta, sendo seu território anexado ao município Tamanduá.
Pela Lei Provincial n.º 1.274, de 02-01-1866, e pela Lei Estadual n.º 2, de 14-09-1891, é criado o distrito de Candeias e anexado à vila de Senhor Bom Jesus de Campo Belo.
Pela Lei Provincial n.º 2.086, de 24-12-1874, e pela Lei Estadual n.º 2, de 14-09-1891, é criado o distrito de Cana Verde e anexado à vila de Senhor Bom Jesus de Campo Belo.
Elevado novamente à categoria de vila com a denominação de Senhor Bom Jesus de Campo Belo, pela Lei n.º 2.221, de 13-06-1876, sendo desmembrado de Tamanduá. Sede na antiga povoação de Senhor Bom Jesus de Campo Belo. Constituído do distrito sede. Reinstalado em 28-09-1878 ou 1879.
Pela Lei Provincial n.º 2.848, de 25-10-1881, a vila de Campo Belo adquiriu da vila de Itapecerica o distrito de Cristais.
Elevado à condição de cidade com a denominação de Campo Belo pela Lei Provincial n.° 3.196, de 23-09-1884.
Pela Lei Provincial n.º 3.221, de 11-10-1884, Campo Belo adquiriu do município de Lavras o distrito de Porto dos Mendes.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1911 o município é constituído de 5 distritos: Campo Belo, Candeias, Cristais, Cana Verde e Porto Mendes.
Pela Lei Estadual n.º 843, de 07-09-1923, o distrito de Cana Verde foi transferido do município de Campo Belo para o de Perdões e, ainda pela mesma Lei Estadual, Campo Belo adquiriu do município de Oliveira o distrito de Corredeira.
Pela Lei Estadual n.º 860, de 09-09-1924, o distrito de Corredeira voltou a chamar-se Santana de Jacaré.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1933 o município é constituído de 5 distritos: Campo Belo, Cristais, Nossa Senhora das Candeias, Santana do Jacaré e São Sebastião de Porto Mendes.
Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, o município é constituído de 5 distritos: Campo Belo, Cristais, Nossa Senhora das Candeias, Porto de Mendes e Santana do Jacaré.
O Decreto-lei Estadual n.º 148, de 17-12-1938, desmembra do município de Campo Belo os distritos de Nossa Senhora das Candeias e Porto de Mendes, sendo seus territórios anexados ao novo município com a denominação de Candeias.
No quadro fixado para vigorar no período de 1939 a 1943 o município é constituído de 3 distritos: Campo Belo, Cristais e Santana do Jacaré.
A Lei Estadual n.º 336, de 27-12-1948, desmembra do município de Campo Belo o distrito de Cristais, elevado à categoria de município. Sob a mesma Lei Estadual é criado o distrito de Aguanil e anexado ao município de Campo Belo.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1950 o município é constituído de 3 distritos: Campo Belo, Aguanil e Santana do Jacaré.
A Lei Estadual n.º 1.039, de 12-12-1953, desmembra do município de Campo Belo o distrito de Santana do Jacaré, elevado à categoria de município.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1955 o município é constituído de 2 distritos: Campo Belo e Aguanil. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1960.
A Lei Estadual n.º 2.764, de 30-12-1962, desmembra do município de Campo Belo o distrito de Aguanil, elevado à categoria de município. Pela mesma Lei é criado o distrito de Porto dos Mendes.
Em divisão territorial datada de 31-XII-1963 o município é constituído de 2 distritos: Campo Belo e Porto dos Mendes. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2014.

Fonte

Campo Belo (MG). In: ENCICLOPÉDIA dos municípios brasileiros. Rio de Janeiro: IBGE, 1959. v. 24. p. 312-318. Disponível em: http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv27295_24.pdf. Acesso em: ago. 2015.
© 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística | v4.3.39