Aniversários dos Municípios
< Voltar
Selecionar local
Estados
Municípios
Todos
Por estado
Selecione o estado:
  • Acre
  • Alagoas
  • Amapá
  • Amazonas
  • Bahia
  • Ceará
  • Distrito Federal
  • Espírito Santo
  • Goiás
  • Maranhão
  • Mato Grosso
  • Mato Grosso do Sul
  • Minas Gerais
  • Paraná
  • Paraíba
  • Pará
  • Pernambuco
  • Piauí
  • Rio Grande do Norte
  • Rio Grande do Sul
  • Rio de Janeiro
  • Rondônia
  • Roraima
  • Santa Catarina
  • Sergipe
  • São Paulo
  • Tocantins
0 de 5570 municípios

Nenhum município encontrado.

Nenhum município encontrado.

Não há fotos para este município

História

ITAMBACURI MINAS GERAIS Monografia - n.° 560 Ano: 1973
ASPECTOS HISTÓRICOS
A 19 de fevereiro de 1873, ao local onde hoje se acha a sede do Município de Itambacuri, chegavam os primeiros brancos, os capuchinhos Frei Serafim de Gorízia e se auxiliar imediato, Frei Ângelo de Sassoferrato, com pequena comitiva de trabalhadores e alguns índios mansos. Frei Serafim de Gorízia partira poucos meses antes, ao expirar de 1872, do Rio de Janeiro, com destino a Filadélfia (hoje, Teófilo Otoni), com a incumbência de formar um aldeamento para a catequese de índios dos vales do Mucuri e São Mateus. Após a estafante caminhada pela extensa região, em busca de local apropriado, extasiou-se com a magnífica visão panorâmica da área, alcançada desde o divisor de águas do rio Itambacuri e córrego d'Areia, e por esta se decidiu. Em fins de fevereiro, um dos primeiros cuidados do desbravador foi a abertura de uma estrada, ao estilo da época, simples picada, que Ihe facultasse receber e enviar tropas a Filadélfia. Logo a seguir outros moradores da região, atraídos pela fama de comuna ordeira e progressista que se estava formando, foram acorrendo e se fixando, consolidando as obras do dinâmico Frei Serafim.
Quatro anos após, contava o povoado com algumas dezenas de casas, uma igreja e quatrocentos a quinhentos índios nos trabalhos da lavoura. Em 1873, o aldeamento possuía um patrimônio de cinqüenta e cinco mil cruzeiros, segundo reIatório de seu fundador ao Governo do Estado.
A preocupação pela educação dos indígenas e 'nacionais' era grande por parte dos fundadores. Perceberam que o aldeamento só poderia prosperar através da educação de seus moradores. Dado a dificuldade em conseguir professores bem preparados cogitaram na fundação de um colégio, que não só atendesse à educação dos menores, como à formação de professores.
Assim, em 3 de julho de 1907, chegaram da Itália quatro religiosas Franciscanas para assumir a direção da Escola. O progresso conseguido foi tão grande, que em 1912 foi inaugurado o curso secundário e em 1926, por decreto estadual, o colégio Santa Clara adquiriu as regalias da Escola Normal.
A vida econômica e social do povoado desenvolveu-se em ritmo normal, até sua elevação à categoria de distrito, e, posteriormente, de Município havendo sua sede recebido foros de cidade em 1924.
Formação Administrativa
O distrito de Itambacuri foi criado pela Lei estadual n° 556, de 30 de agosto de 1911, subordinado ao município de Teófilo Otoni.
Por força da Lei estadual n° 843, de 7 de setembro de 1923, instituiu-se o Município de Itambacuri, formado por 4 distritos: o de Itambacuri, desmembrado do município de Teófilo Otoni, e os de Aranã, Frei Serafim e Igreja Nova, criados com territórios desmembrados do distrito-sede.
Pelo disposto no Decreto-lei estadual n° 148, de 17 de dezembro de 1938, foi extinto o distrito de Aranã, cujo território passou a integrar o de Frei Gaspar, do município do mesmo nome. Ainda em face desse decreto, o distrito de Igreja Nova cedeu parte de suas terras aos novos distritos de São Fidélis e São Pedro, bem assim para os municípios de Conselheiro Pena, recém-criado, e de Resplendor. Passou Itambacuri a constituir-se dos distritos da Sede, Frei Gaspar, Frei Serafim, Igreja Nova, São Fidélis e São Pedro.
Em virtude do Decreto-lei estadual n° 1.058, de 31 de dezembro de 1943, o Município perdeu para o de Ataléia, recém-criado, o distrito de Fidelândia (ex-São Fidélis), acrescido de parte do território do distrito de Pescador (ex-São Pedro). Segundo o referido decreto, Itambacuri reunia os distritos da Sede, Campanário (ex-Igreja Nova), Frei Gaspar, Frei Serafim e Pescador (ex-São Pedro).
A Lei n° 336, de 27 de dezembro de 1948, criou o distrito de São José do Divino. Por Lei estadual n° 1.039, de 12 de dezembro de 1953, foram criados os distritos de Frei Inocêncio, Guarataia e Nova Módica, aparecendo Itambacuri, em 1954, com 9 distritos. Por Lei estadual n° 2.764, de 30 de dezembro de 1962, foram desmembrados, passando a municípios, os distritos de Campanário, Frei Gaspar, Frei Inocência, Pescador, Nova Módica e São José do Divino, ficando o Município reduzido a 3 distritos: Itambacuri, Frei Serafim e Guarataia. Esta situação permanece até a presente data. O Municipio de Itambacuri integrava, até 1949, o Termo e a Comarca de Teófilo Otoni.
A Comarca de Itambacuri deve sua criação ao Decreto-lei n° 336, de 27 de dezembro de 1948, havendo sido instalada em 6 de novembro de 1949. É de 1ª entrância e abrange em sua jurisdição os municípios de Campanário, Frei Gaspar, Frei Inocêncio, Nova Módica, Pescador e São José do Divino.

Fonte

IBGE
© 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística | v4.3.18.0