Aniversários dos Municípios
< Voltar
Selecionar local
Estados
Municípios
Todos
Por estado
Selecione o estado:
  • Acre
  • Alagoas
  • Amapá
  • Amazonas
  • Bahia
  • Ceará
  • Distrito Federal
  • Espírito Santo
  • Goiás
  • Maranhão
  • Mato Grosso
  • Mato Grosso do Sul
  • Minas Gerais
  • Paraná
  • Paraíba
  • Pará
  • Pernambuco
  • Piauí
  • Rio Grande do Norte
  • Rio Grande do Sul
  • Rio de Janeiro
  • Rondônia
  • Roraima
  • Santa Catarina
  • Sergipe
  • São Paulo
  • Tocantins
0 de 5570 municípios

Nenhum município encontrado.

Nenhum município encontrado.

Fotos

Não há fotos para este município

História

Reza a tradição local que, em 1761, andando Manuel de Borba Gato, genro de Fernão Dias, em fuga pelos sertões do São Francisco, após o incidente que resultou na morte de D. Henrique de Castel Branco, castelhano de nascimento e emissário real, teria atingido a região onde se ergueu o município. Sobre o desenvolvimento do povoado dessa data a 1811, quando foi declarado distrito, pouco se sabe. Com relação ao topônimo atual, a tradição guarda a lenda de que ele se teria originado do nome de uma senhora Januária, em cuja casa os aventureiros da região aprazavam encontros. O nome dessa estalajadeira se teria estendido a todo o povoado; estudiosos, no entanto, afirmam ter sido o topônimo dado em homenagem à filha de D. Pedro I, princesa Januária.

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Brejo do Amparo pela Resolução Régia de 02-01-1811.
Elevado à categoria de vila com a denominação de Brejo do Amparo pela Resolução de 30-06-1833. Sede na antiga povoação de Brejo do Amparo. Constituído de 2 distritos: Brejo do Amparo e Nossa Senhora da Conceição de Morrinhos. Instalado em 22-04-1834.
As Leis Provinciais n.° 54, de 09-04-1836, n.º 472, de 31-08-1850, e n.º 3.297, de 27-08-1885, transferem a sede do município da povoação de Brejo do Amparo para a povoação de Brejo do Salgado ou arraial de Nossa Senhora do Amparo. Levada daí para Brejo do Amparo, em virtude da Lei Provincial n.° 472, de 31 de maio de 1850, retornou a Pôrto do Salgado, em razão da Lei n.° 654, de 17 de junho de 1853.
Elevado à condição de cidade com a denominação de Porto do Salgado pela Lei Provincial n.° 1.093, de 07-10-1860.
Pela Lei Provincial n.º 1.379, de 14-11-1866, ratificada pela Lei Estadual n.º 2, de 14-09-1891, é criado o distrito de Mocambo e anexado ao município de Brejo do Amparo.
Pela Lei Provincial n.° 1.814, de 30-09-1871, a sede do município voltou a situar-se em Brejo do Amparo.
Pela Lei Provincial n.º 3.194, de 13-09-1884, o município de Brejo do Amparo passou a chamar-se Januária.
Pela Lei Provincial n.º 3.297, de 27-08-1885, a sede do município passou a chamar-se Porto do Salgado.
Pela Lei Estadual n.º 2, de 14-09-1891, é criado o distrito de São João das Missões e anexado ao município de Januária.
Pela Lei Estadual n.º 556, de 30-08-1911, é criado o distrito de Pedra de Maria da Cruz e anexado ao município de Januária.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1911 o município aparece constituído de 7 distritos: Januária, Brejo do Amparo, Japoré, Mucambo, Morrinhos, Pedras de Maria da Cruz e São João das Missões.
Nos quadros de apuração do Recenseamento Geral de I-IX-1920 o município é constituído de 3 distritos: Januária, Morrinhos e São Caetano do Japoré.
A Lei Estadual n.º 843, de 07-09-1923, desmembra do município de Januária os distritos de São Caetano de Japoré e Matias Cardoso, para formarem o novo município de Manga. Sob mesma Lei Estadual é criado o distrito de Cônego Marinho, criado com terras desmembradas do distrito de Brejo do Amparo e anexado ao município de Januária. E ainda pela mesma Lei o distrito de São João das Missões tomou a denominação de Jacaré.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1933 o município aparece constituído de 6 distritos: Januária, Brejo do Amparo, Cônego Marinho, Itacarambi, Levinópolis, e Pedras de Maria da Cruz. Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937.
Pelo Decreto-lei Estadual n.º 148, de 17-12-1938, é criado o distrito de Missões com terras desmembradas do distrito de Itacarambi e anexado ao município de Januária.
No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 7 distritos: Januária, Brejo do Amparo, Cônego Marinho, Missões, Itacarambi, Levinópolis e Pedras de Maria da Cruz. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-VII-1950.
Pela Lei n.º 1.039, de 12-12-1953, é criado o distrito de Riacho de Santa Cruz e anexado ao município de Januária.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1960 o município é constituído de 8 distritos: Januária, Brejo do Amparo, Cônego Marinho, Itacarambi, Levinópolis, Missões, Pedras de Maria da Cruz e Riacho da Cruz.
A Lei Estadual n.º 2.764, de 30-12-1962, desmembra do município de Januária os distritos de Itacarambi e Missões, para formarem o novo município de Itacarambi.
Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído de 6 distritos: Januária, Brejo do Amparo, Cônego Marinho, Levinópolis, Pedras de Maria da Cruz e Riacho da Cruz.
Pela Lei Estadual n.º 6.769, de 13-05-1976, foram criados os distritos de Bonito, São Joaquim e Tejuco e anexados ao município de Januária.
Em divisão territorial datada de 1-1-1979, o município é constituído de 9 distritos: Januária, Bonito, Brejo do Amparo, Cônego Marinho, Levinópolis, Pedras de Maria da Cruz, Riacho da Cruz, São Joaquim e Tejuco.
Pela Lei Estadual n.º 8.285, de 08-10-1982, é criado o distrito de São Pedro das Tabocas, com terras desmembradas do distrito de Pedra de Maria da Cruz e anexado ao município de Januária.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1983 o município é constituído de 10 distritos: Januária, Bonito, Brejo do Amparo, Cônego Marinho, Levinópolis, Pedras de Maria da Cruz, Riacho da Cruz, São Joaquim, São Pedro das Tabocas e Tejuco. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1991.
A Lei Estadual n.º 10.704, de 27-04-1992, desmembra do município de Januária os distritos de Pedras de Maria da Cruz e São Pedro das Tabocas, para constituírem o novo município de Pedras de Maria da Cruz.
Em divisão territorial datada de 1993 o município é constituído de 8 distritos: Januária, Bonito, Brejo do Amparo, Cônego Marinho, Levinópolis, Riacho da Cruz, São Joaquim e Tejuco.
Pela Lei Municipal n.º 1.520, de 02-05-1994, é criado o distrito de Várzea Bonita e anexado ao município de Januária.
A Lei Estadual n.º 12.030, de 21-12-1995, desmembra do município de Januária os distritos de Cônego Marinho e Bonito, elevados à categoria de município, sendo Bonito agora chamado de Bonito de Minas.
Em divisão territorial datada de 1999 o município é constituído de 7 distritos: Januária, Brejo do Amparo, Levinópolis, Riacho da Cruz, São Joaquim, Tejuco e Várzea Bonita.
Pela Lei Municipal n.º 1.872, de 14-04-2000, é criado o distrito de Pandeiros e anexado ao município de Januária.
Em divisão territorial datada de 2003, o município é constituído de 8 distritos: Januária, Brejo do Amparo, Levinópolis, Pandeiros, Riacho da Cruz, São Joaquim, Tejuco e Várzea Bonita. Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2014.

Fonte

Januária (MG). In: ENCICLOPÉDIA dos municípios brasileiros. Rio de Janeiro: IBGE, 1959. v. 25. p. 341-345. Disponível em: http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv27295_25.pdf. Acesso em: ago. 2015.
© 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística | v4.3.41