Aniversários dos Municípios
< Voltar
Selecionar local
Estados
Municípios
Todos
Por estado
Selecione o estado:
  • Acre
  • Alagoas
  • Amapá
  • Amazonas
  • Bahia
  • Ceará
  • Distrito Federal
  • Espírito Santo
  • Goiás
  • Maranhão
  • Mato Grosso
  • Mato Grosso do Sul
  • Minas Gerais
  • Paraná
  • Paraíba
  • Pará
  • Pernambuco
  • Piauí
  • Rio Grande do Norte
  • Rio Grande do Sul
  • Rio de Janeiro
  • Rondônia
  • Roraima
  • Santa Catarina
  • Sergipe
  • São Paulo
  • Tocantins
0 de 5570 municípios

Nenhum município encontrado.

Nenhum município encontrado.

Não há fotos para este município

História

O topônimo Mantena significa terra boa, que se conserva farta, etc.
O município teve, anteriormente, dois nomes: o de 'Barra do Córrego dos Ilhéus', em virtude sua localização nas margens do Córrego de propriedade do Sr. Cândido Ribeiro Gonçalves, vulgo, Cândido Ilhéus, e mais tarde, o de 'Patrimônio de Benedito Quintino', em homenagem ao ilustre engenheiro Benedito Quintino dos Santos, que é considerado um grande explorador da região, e a quem deve Mantena grande parte de sua existência.
A região foi inicialmente desbravada pelos exploradores desejosos de se apossarem das terras e pelos padres capuchinhos, Frei Serafim de Gorizia, Frei Ângelo de Sassoferato, Frei Gaspar de Módica e Frei Inocêncio de Comiso.
O primeiro morador do local, onde hoje se ergue a cidade de Mantena, foi o Sr. Emiliano Ferreira Júnior, que partindo do município de Ipanema em 1933, e atravessando o Rio Doce na Pedra da Lorena, acima da cidade de Aimorés, em busca de matas, subiu a serra do Cuparaque e cruzou as águas do São José em plena mata virgem, atingindo a barra do ribeirão dos Ilhéus, onde fez a primeira derrubada. Seus Companheiros eram, Francisco Perigosa e Cândido Ribeiro Gonçalves, conhecido pela alcunha de 'Cândido Ilhéu'.
Emiliano Ferreira Júnior apossou-se da barra do Córrego dos Ilhéus até a confluência do Córrego do Turvo. Francisco Perigoso limitou sua posse com o Córrego do Turvo e Antônio Perigoso apossou-se das margens do ribeirão São Francisco.
No princípio de 1934, Emiliano Ferreira Júnior perdeu sua primeira filha, de nome Elisa, sepultada no local onde se encontra hoje a Igreja de Santo Antônio de Mantena e, desgostoso com esse acontecimento, vendeu sua posse para Cândido Ribeiro Gonçalves, que a doou mais tarde a Santo Antônio de Mantena.


FORMAÇÃO ADMINISTRATIVA:

A região do braço sul do São Mateus ou Cricaré, onde esta situado o município de Mantena, pertenceu, desde a fundação de Filadélfia, em 1852 até 1918, ao distrito de Itambacuri, do município de Teófilo Otoni. Com a emancipação de Itambacuri ficou, pertencendo aquela região ao novo município.
Em 1938 foi criado o distrito de Bom Jesus do Mantena, compreendendo toda a região do São Mateus do Sul.
Em 1943, o Decreto-Lei número 1.058, de 30 de dezembro, criou o município de Mantena, cuja instalação se verificou em 1º de janeiro de 1944.
Atualmente é a seguinte composição distrital do município: A sede, Barra do Ariranha e Limeira de Mantena.

FORMAÇÃO JUDICIÁRIA:

Sentindo a necessidade da criação da Comarca de Mantena, o governo estadual baixou em 1944, o Decreto-Lei nº 1.011, de 30 de dezembro, que a instituiu, verificando-se sua instalação solene em 1º de janeiro de 1945.

TURISMO E EVENTOS:

A festa máxima é o dia 13 de Junho, festa do padroeiro de Mantena 'Santo Antônio de Pádua', comemorado com procissão, durante a semana a partir do dia 4 de junho, funcionam barracas, palco para apresentação da danças 'Folclóricas' das cidades vizinhas inclusive, outras atrações como bailes, vaquejadas, atletismo, etc.

Fonte

IBGE
© 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística | v4.3.21