Aniversários dos Municípios
< Voltar
Selecionar local
Estados
Municípios
Todos
Por estado
Selecione o estado:
  • Acre
  • Alagoas
  • Amapá
  • Amazonas
  • Bahia
  • Ceará
  • Distrito Federal
  • Espírito Santo
  • Goiás
  • Maranhão
  • Mato Grosso
  • Mato Grosso do Sul
  • Minas Gerais
  • Paraná
  • Paraíba
  • Pará
  • Pernambuco
  • Piauí
  • Rio Grande do Norte
  • Rio Grande do Sul
  • Rio de Janeiro
  • Rondônia
  • Roraima
  • Santa Catarina
  • Sergipe
  • São Paulo
  • Tocantins
0 de 5570 municípios

Nenhum município encontrado.

Nenhum município encontrado.

Fotos

Cooperativa de leite de Pará de Minas (MG) - s.d.
Cidade de Pará de Minas (MG) - s.d.
Vendedores de leite juntando vasilhas para mandar à cidade de Pará de Minas (MG) - s.d.
Panorâmica : estrada para a cidade de Pará de Minas (MG) - 1967
Panorâmica : estrada para a cidade de Pará de Minas (MG) - 1967
Panorâmica : estrada para a cidade de Pará de Minas (MG) - 1967
Veja mais fotos

História

O topônimo Pará, segundo opinião do indianólogo Batista Caetano de Almeida e do engenheiro Teodoro Sampaio, significa rio volumoso, caudal, e colecionador de águas, sendo “de Minas” apenas um aditivo destinado a distinguir o município mineiro do Estado do Pará.
Os primórdios da povoação que deu origem à atual cidade do Pará de Minas remontam aos fins do século XVII, quando, em intenso movimento, dirigiam-se para as Minas de Pitangui as “bandeiras paulistas”. No roteiro que acompanhava os rios, lançavam-se os audazes aventureiros em busca do ouro, deixando trilhas aos pósteros.
Em um desses caminhos, nos territórios que se estendem entre os rios Paraopeba e São João, surgiu um ponto de pouso, às margens do ribeirão do Paciência e, nesse local, entre muitos outros, fixou-se o mercador português de nome Manoel Batista, alcunhado o “Pato-Fôfo”, que deliberou, mais tarde, abandonar o comércio que mantinha com os bandeirantes paulistas e explorar uma fazenda existente nas margens do Paciência. Seu apelido, segundo tradição, originou-se do fato de ter aquele português, que era muito gordo, a vaidade de querer passar por homem de grandes posses.
Manoel Batista foi, assim o desbravador da região e um dos seus primeiros moradores, tendo resultado dos seus esforços a construção da primeira capela local, que, em sua homenagem, foi cognominada “Capela de Nossa Senhora da Piedade do Patafufo” (corrutela de Pato Fôfo). Também o arraial que começou a se formar no local chamou-se, inicialmente “Arraial do Patafufo”.

Formação Administrativa

Distrito criado com denominação de Patafufo, pela Lei Provincial n.º 312, de 08-04-1846 e Lei Estadual n.º 2, de 14-09-1891.
Elevado à categoria de vila com a denominação de Patafufo, pela Lei Provincial n.º 386, de 09-10-1948.
Pela Lei Provincial n.º 472, de 31-0-5-1850, é extinta a vila de Patafufo.
Elevado novamente à categoria de vila com a denominação de Nossa Senhora da Piedade do Pará, pela Lei Provincial n.º 882, de 08-06-1858. Instalada em 20-09-1859.
Pela Lei Provincial n.º 1.889, de 15-07-1872, a vila é novamente extinta, sendo seu território anexado ao município de Pitangui.
Elevada novamente à categoria de vila com a denominação de Pará, pela Lei Provincial n.º 2.081, de 23-12-1874, desmembrada de Pitangui. Sede no atual distrito de Pará (ex-Nossa Senhora da Piedade do Pará). Reinstalada em 25-03-1875.
Elevado à condição de cidade com a denominação de Pará, pela Lei Provincial n.º 2.416, de 05-11-1877.
Pela Lei Provincial n.º 3.141, de 18-10-1883 e Lei Estadual n.º 2, de 14-09-1891, foram criados os distritos de Santo Antônio do Rio São João Acima e São Joaquim de Bicas e anexados ao município de Pará.
Pela Lei Estadual n.º 2, de 14-09-1891, foram criados os distritos de Mateus Leme, São Gonçalo do Pará e São José da Varginha e anexados ao município de Pará.
Pela Lei Estadual n.º 556, de 30-08-1911, é criado o distrito de Florestal (ex-povoado de Guarda-Mor). Criado com território desmembrado do distrito de Mateus Leme e anexado ao município de Pará.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído de 7 distritos: Pará, Florestal, Mateus Leme, Santo Antônio do Rio São João Acima, São Gonçalo do Pará, São Joaquim de Bicas e São José da Varginha.
Assim permanecendo nos quadros de apuração do recenseamento geral de 1-IX-1920.
Pela Lei Estadual n.º 806, de 22-09-1921, o município de Pará teve sua denominação alterada para Pará de Minas.
Pela Lei Estadual n.º 843, de 07-09-1923, o distrito de Santo Antônio do Rio São João Acima tomou a denominação de Igaratinga.
Pelo Decreto Estadual n.º 10.002, de 30-07-1931, o distrito de São Joaquim de Bicas passou a chamar-se Igarapé.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído de 7 distritos: Pará de Minas (ex-Pará), Florestal, Igarapé (ex-São Joaquim de Bicas), Igaratinga (ex-Santo Antônio do Rio São João Acima), Mateus Leme, São Gonçalo do Pará e São José da Varginha.
Assim permanecendo em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937.
Pelo Decreto-lei Estadual n.º 148, de 17-12-1938, são desmembrados do município de Pará de Minas os distritos de Mateus Leme e Igarapé, para constituir o novo município de Mateus Leme.
No quadro fixado para vigorar no período de 1939-1943, o município é constituído de 5 distritos: Pará de Minas, Florestal, Igaratinga, São Gonçalo do Pará e São José da Varginha.
Pela Lei n.º 336, de 27-12-1948, é desmembrado do município de Pará de Minas o distrito de São Gonçalo do Pará. Elevado à categoria de município.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 4 distritos: Pará de Minas, Florestal, Igaratinga e São José da Varginha.
Pela Lei n.º 1.039, de 12-12-1953, é criado o distrito de Carioca (ex-povoado), com terras desmembradas do distrito de Igaratinga e anexado ao município de Pará de Minas.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1955, o município é constituído de 5 distritos: Pará de Minas, Carioca, Florestal, Igaratinga e São José da Varginha.
Assim permanecendo em divisão territorial datada 1-VII-1960.
Pela Lei Estadual n.º 2.764, de 30-12-1962, foram criados os distritos de Ascenção e Córrego de Barro e anexados ao município de Pará de Minas. Pela mesma Lei foram desmembrados do município de Pará de Minas os distritos de Florestal, Igaratinga e São José da Varginha, elevados à categoria de município.
Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído de 4 distritos: Pará de Minas, Ascenção, Carioca e Córrego do Barro.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-1-1979.
Pela Lei Estadual n.º 8.285, de 08-10-1982, é criado o distrito de Torneiros (ex-povoado), criado com terras desmembradas do distrito de Carioca e anexado ao município de Pará de Minas.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1983, o município é constituído de 5 distritos: Pará de Minas, Ascenção, Carioca, Córrego do Barro e Torneiros.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Fonte

Enciclopédia dos Municípios Brasileiros. Rio de Janeiro : IBGE, 1959. v. 26, p. 256. Disponível em: http://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv27295_26.pdf. Acesso em: jan. 2015.
© 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística | v4.3.41