Aniversários dos Municípios
< Voltar
Selecionar local
Estados
Municípios
Todos
Por estado
Selecione o estado:
  • Acre
  • Alagoas
  • Amapá
  • Amazonas
  • Bahia
  • Ceará
  • Distrito Federal
  • Espírito Santo
  • Goiás
  • Maranhão
  • Mato Grosso
  • Mato Grosso do Sul
  • Minas Gerais
  • Paraná
  • Paraíba
  • Pará
  • Pernambuco
  • Piauí
  • Rio Grande do Norte
  • Rio Grande do Sul
  • Rio de Janeiro
  • Rondônia
  • Roraima
  • Santa Catarina
  • Sergipe
  • São Paulo
  • Tocantins
0 de 5570 municípios

Nenhum município encontrado.

Nenhum município encontrado.

Fotos

Não há fotos para este município

História

No Ciclo do Ouro várias picadas foram abertas na região do vale do Rio Pomba. O objetivo era a busca de riquezas naturais e organização de lavouras agrícolas de subsistência. Essa empreitada torna-se difícil pela reação nada amistosa dos índios Coroados e Coropós, que foram mais tarde pacificados por padre Manoel de Jesus Maria. Catequizados os primitivos habitantes, as lavras e fazendas puderam se desenvolver, criando em torno de si diversos povoados. Um deles era conhecido como Rodeiro, nome dado a fabricante de rodas de carros-de-boi e carroças, muito popular na profissão.
Povoação segue o Rio Pomba ? Depois que o padre Manoel de Jesus Maria passou a tratar humanamente os índios Coroados e Coropós, enfurecidos e em pé-de-guerra contra as expedições que os maltratavam, aprisionavam-nos como escravos e até os matavam pura e simplesmente, toda a região do vale do Rio Pomba e vizinhanças pode ser colonizada. O governador da Povíncia Luís Diogo Lobo da Silva, além de ter conseguido a colaboração do padre, nomeou para diretor dos Índios o capitão Francisco Pires Farinho que, juntamente com seu irmão Manoel Pires Farinho, passou a colaborar estreitamente com a cataquese do missionário, impedindo os maus tratos aos índios e se empenhando junto às autoridades a fim de conseguir ajuda para os aldeamentos indígenas que eram instalados. Apaziguados os índios, as penetrações em busca de riquezas naturais e de boas terras para lavouras e pastagens foram se intensificando. Surgiram os povoados e a colonização avançava, seguindo o curso do Rio Pomba e de seus numerosos afluentes como o Paraopeba, o Ubá, o São Geraldo, o Rio Novo e muitos outros. Foi assim que, no município de Ubá surgiu o povoado de São Sebastião da Boa Esperança do Rodeiro, nos últimos anos do século retrasado.
A denominação Rodeiro, se prende ao fato de lá residir um fabricante de rodas de carros-de-boi e carroças, chamado Manoel Isidoro Rodeiro, segundo Joaquim Ribeiro Costa, no seu Toponímia de Minas Gerais, ou Manoel Lino Rodeiro, como afirma relatório da Prefeitura Municipal. O povoado desenvolveu-se em torno da capelinha construída no lugar e foi elevado a distrito pela Lei nº 556, de 30 de Agosto de 1911. A 12 de outubro do mesmo ano, a capela passa a curato. Em 7 de Setembro de 1923, o distrito tem a denominação confirmada de Rodeiro simplesmente, pela Lei nº 843. Em 1941, com o arraial já desenvolvido, ganha foros da paróquia e finalmente, a 30 de Dezembro de 1962, a Lei nº 2.764, cria o novo município desmembrado de Ubá, elevando a sede à cidade. Só possui um distrito e pertence a comarca de Ubá.
Situado na Microrregião geográfica de Ubá e na Mesorregião da Zona da Mata, com área de 72 km2, limita-se com os municípios de Astolfo Dutra, Dona Euzébia, Guidoval e Ubá.
Gentílico: Rodeirense
Altitude: 350 metros

Fonte

Informação básica(IBGE)
© 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística | v4.3.26.1