Aniversários dos Municípios
< Voltar
Selecionar local
Estados
Municípios
Todos
Por estado
Selecione o estado:
  • Acre
  • Alagoas
  • Amapá
  • Amazonas
  • Bahia
  • Ceará
  • Distrito Federal
  • Espírito Santo
  • Goiás
  • Maranhão
  • Mato Grosso
  • Mato Grosso do Sul
  • Minas Gerais
  • Paraná
  • Paraíba
  • Pará
  • Pernambuco
  • Piauí
  • Rio Grande do Norte
  • Rio Grande do Sul
  • Rio de Janeiro
  • Rondônia
  • Roraima
  • Santa Catarina
  • Sergipe
  • São Paulo
  • Tocantins
Palácio da Soledade : Colégio Nóbrega : Recife, PE - [19--]
Palácio da Soledade : Colégio Nóbrega : Recife, PE - [19--]
Palácio da Soledade : Colégio Nóbrega : Recife, PE - [19--]
Escultura do Museu do Estado de Pernambuco : Recife, PE - [19--]
Praça da Independência : Diário de Pernambuco : Recife, PE - [19--]
Banco do Brasil S.A. : Recife, PE - [19--]

História

A origem do Recife remonta à terceira década do Século XVI, quando era uma estreita faixa de areia protegida por uma linha de arrecifes que formava um ancoradouro. Devido as suas características físicas favoráveis, o local passou a abrigar um porto. E no entorno dele, que servia a Vila de Olinda, formou-se um povoado com cerca de 200 habitantes, em sua maioria, marinheiros, carregadores e pescadores. O assentamento ocupava a península correspondente ao que é hoje o Bairro do Recife.
Por se tratar de região portuária, a atividade comercial desenvolveu-se rapidamente impulsionando o crescimento do povoado. E em 1537, a constituição da Vila do Recife é registrada. No século XVII, com o desenvolvimento econômico da colônia, o porto prosperou favorecendo a expansão da vila que toma forma de cidade. A atividade açucareira também cresceu e as margens dos cursos d’água passaram a serem ocupadas por engenhos e casebres, enquanto os rios tornaram-se caminhos navegáveis para transporte dos produtos.
Em 1630, Olinda, então centro da capitania, é invadida e incendiada por holandeses. Contudo, os invasores se estabeleceram nas terras baixas do Recife, seja porque o sítio de Olinda não favorecia aos seus interesses militares e comerciais, seja pela semelhança do Recife com a Holanda. Desse modo, colonos, soldados, habitantes de Olinda e imigrantes judeus iniciaram a ocupação da Vila do Recife.
A partir do Século XVIII, o desenvolvimento da cidade se apóia no comércio externo e a urbanização portuguesa incide predominantemente sobre o antigo território holandês, de forma espontânea, caracterizada por ruas estreitas, que se abrem em pátios onde se destaca a construção religiosa.
No Século XIX, a cidade já apresenta um tecido densamente urbanizado que corresponde ao atual centro histórico surgido dos aterros das áreas alagadas e mangues, a partir da ocupação holandesa.
sé.
Em divisão territorial datada de 1-VI-1995, o município é constituído do distrito sede.
Em divisão territorial datada de 15-VII-1999, o município é constituído do distrito sede.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2005.

Formação Administrativa

A povoação do Recife surgiu em 1561 passando, no ano de 1637, sob domínio holandês a denominar-se Maritzstad (Mauricéia), em homenagem a Maurício de Nassau.
Elevada à categoria de vila com a denominação de Recife, por Carta Régia de 1911-1709. Instalada em novembro de 1771.
Pela Resolução de 31-07-1817, e Lei Municipal n.º 1, de 06-04-1892, é criado o distritos de Poço de Panela e anexado a vila de Recife.
Por Alvará de 25-08-1789, é criado o distrito de Santo Antônio e anexado à vila de Recife.
Pela Lei Provincial n.º 173, de 20-11-1846, é criado o distrito de Várzea e anexado a Vila de Recife.
Distrito criado com a denominação de Recife, por Alvará de 20-03-1772, e Lei Municipal n.º 1, de 06-04-1892.
Elevado à condição de cidade e sede municipal, por Carta Imperial, de 05-12-1823.
Elevado à Capital do Estado, por Portaria, de 29-12-1825, confirmado pela Resolução de 15-02-1827.
Pela Lei Municipal n.º 1, de 06-04-1892, foram criados os seguintes distritos: Afogados, Boa Vista, Encruzilhada, Graças, Poço da Panela, Santo Amaro, São Frei Pedro Gonçalves e São José e anexados ao município de Recife.
Pela Lei n.º 8, de 28-06-1893, é criado o distrito de Peres e anexado ao município de Recife.
Pela Lei n.º 95, de 27-04-1896, foram criados os distritos de Madalena e Torre e anexados ao município de Recife.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído de 14 distritos: Recife, Santo Antônio, 1º e 2º distritos de São José, 1º e 2º distritos de Boa Vista, 1º e 2º distritos da Graças, 1º, 2º e 3º distritos Afogados, Torre, Poço da Panela e Várzea.
Nos quadros de apuração do Recenseamento Geral de 1-IX-1920, o município aparece constituído de 18 distritos: Recife, Afogados, Boa Vista, Caxangá, Graças, Ilha Fernando de Noronha, Ilhas do Pina, Madalena, Areias, Nogueira, Peres, Poço da Panela, Pombal, Santo Amaro, Santo Antônio, São José, Torres e Várzeas.
Pela Lei Estadual n.º 1.931, de 11-09-1928, Recife adquiriu os distritos de Tigipió e Beberibe, respectivamente, dos municípios de Jaboatão e Olinda.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído de 10 distritos: Recife, Afogados, Beberibe, Boa Vista, Graças, Poço (ex-Poço da Panela), Santo Antônio, São José, Tigipio e Varzea.
Em divisão territorial datada de 31-XII-1936, município é constituído de 4 distritos: Recife, Boa Vista, Afogados e Graças.
Em divisão territorial datada de 31-XII-1937, o município é constituído de 5 distritos: Recife, Fernando de Noronha, Boa Vista, Afogados e Graças.
Pelo Decreto-lei Estadual n.º 92, 1938, o município de Recife figura unicamente do distrito sede, entretanto, abrange 10 zonas: Recife, Santo Antônio, São José, Afogados, Boa Vista, Graças, Poço, Várzea, Tejípio e Beberibe.
Pelo Decreto-lei Federal n.º 1.402, de 09-02-1942, desmembra do município de Recife o distrito de Fernando de Noronha. Elevado à categoria de Território Federal.
Pelo Decreto-lei n.º 324, de 31-07-1942, o município de Recife ficou dividido em 4 sub-distritos: 1º Recife, Santo Antônio e São José; 2º Boa Vista, Santo Amaro, Graças e Encruzilhada; 3º Afogados, Madalena, Tijípio e Boa Viagem; 4º Poço, Casa Amarela, Várzea e Beberibe.
Em divisão territorial datada de I-VII-1960, o município é constituído do distrito sede e se compõem de 15 zonas administrativas: Recife, Boa Vista, Santo Amaro, Graças, Encruzilhada, Afogados, Madalena, Tejipió, Boa Viagem, Poço, Casa Amarela, Várzea, Beberibe, Santo Antônio e São José.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 1-1-1979.
Pela Constituição Federal de 1988, o território de Fernando de Noronha foi extinto e sua área reincorporada ao Estado de Pernambuco.
Em divisão territorial datada de 1988, o município é constituído do distrito sede e se compõem de 15 zonas administrativas: Recife, Boa Vista, Santo Amaro, Graças, Encruzilhada, Afogados, Madalena, Tejipió, Boa Viagem, Poço, Casa Amarela, Várzea, Beberibe, Santo Antônio e São José.
Em divisão territorial datada de 1995, o município é constituído do distrito sede.
Em divisão territorial datada de 2001, o município é constituído do distrito sede.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.

Fonte

Recife (PE). Prefeitura. 2014. Disponível em: http://www2.recife.pe.gov.br. Acesso em: jan. 2014.

Não encontrou o que procurava?

Ajude-nos a manter o site com informações relevates.

© 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística | v4.2.13
QR code