Aniversários dos Municípios
< Voltar
Selecionar local
Estados
Municípios
Todos
Por estado
Selecione o estado:
  • Acre
  • Alagoas
  • Amapá
  • Amazonas
  • Bahia
  • Ceará
  • Distrito Federal
  • Espírito Santo
  • Goiás
  • Maranhão
  • Mato Grosso
  • Mato Grosso do Sul
  • Minas Gerais
  • Paraná
  • Paraíba
  • Pará
  • Pernambuco
  • Piauí
  • Rio Grande do Norte
  • Rio Grande do Sul
  • Rio de Janeiro
  • Rondônia
  • Roraima
  • Santa Catarina
  • Sergipe
  • São Paulo
  • Tocantins
0 de 5570 municípios

Nenhum município encontrado.

Nenhum município encontrado.

Fotos

Coxilhas suaves : estrada Santa Maria (RS) - 1954
Erosão causada pelo gado na estrada Santa Maria (RS) - 1954
Relevo perto de Caçapava (30 km antes) (RS) - 1959

Mais fotos

História

Caçapava na língua tupi-guarani significa “clareira na mata”, “fim da estrada na mata” ou “fim da travessia no monte”. Calcula-se que a Paragem de Caçapava tenha nascido em 1777, oriunda de um acampamento militar localizado no ponto mais estratégico da região, no antigo aldeamento dos charruas, numa clareira cravada na mata virgem. Com a ocupação da Clareira dos Charruas, teve início a história conhecida de Caçapava, que foi elevada à categoria de vila em 25 de outubro de 1831 e à categoria de cidade em 9 de dezembro de 1885.
Por ocupar localização estratégica nos pampas, Caçapava do Sul viveu grandes epopeias. Escaramuças, guerras e sangrentas revoluções eclodiram em sua geografia, sempre em defesa da terra brasileira. Tão importante foi a participação de Caçapava na Revolução Farroupilha que a cidade tornou-se a 2ª capital farroupilha rio-grandense, no período de 9 de janeiro de 1839 a 30 de maio de 1840. Em meados do século XIX, a vila de Caçapava abrigou um arsenal e uma guarnição do exército imperial.
Em Caçapava do Sul são quatro os bens tombados, três deles pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado (IPHAE), em razão de sua relação histórica com a Revolução Farroupilha: a Casa Ulhôa Cintra (ou Casa de Reunião dos Farrapos), a Igreja Matriz Nossa Senhora da Assunção e o Fórum de Caçapava – o fórum se tornou o Centro Municipal de Cultura Arnaldo Luiz Cassol, que abriga o Museu Lanceiros do Sul e a Biblioteca Municipal Domingos José de Almeida.
O Forte Dom Pedro II foi em 1938 tombado pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), considerado a única fortificação remanescente no estado do Rio Grande do Sul, embora suas muralhas de dimensões monumentais jamais tenham sido terminadas nem guarnecidas. É um dos pontos turísticos mais visitados do município, pela sua localização.
Caçapava do Sul, com outras doze prefeituras, faz parte da Associação das Cidades Históricas do Estado (ACHRS), instituída em março de 2011. A assinatura desse convênio é um marco histórico para a preservação do patrimônio cultural e a memória da cidade.

Formação Administrativa

Desmembrado de Cachoeira, Caçapava é elevado à categoria de vila por Decreto de 25/10/1831. A vila é instalada em 19/01/1834, constituída do distrito-sede.
Pela Lei Provincial nº 135, de 15/07/1848, é criado o distrito de Santana da Boa Vista e anexado ao município de Caçapava.
Pela Lei Provincial nº 1.535, de 09/12/1885, Caçapava é elevada à condição de cidade.
Pelo Ato Municipal nº 1, de 26/09/1895, são criados os distritos de Minas, Lagoão, Seival e Durasnal e anexados ao município de Caçapava.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o município é constituído de cinco distritos: Caçapava, Durasnal, Seival, Minas, Lagoão e Santana da Boa Vista.
Por Ato Municipal nº 3, de 23/11/1915, é criado o distrito de Percequeiro e anexado ao município de Caçapava.
Nos quadros de apuração do Recenseamento Geral de 1º/09/1920, o município de Caçapava é constituído de seis distritos: Caçapava, Durasnal, Seival, Camaquã (ex-Minas), Boa Vista (ex-Santana da Boa Vista) e Percequeiro; o distrito de Lagoão consta como extinto.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o município é constituído de seis distritos: Caçapava, Seival, Minas de Cobre de Camaquam (ex-Camaquã), Santana da Boa Vista (ex-Boa Vista), Percequeiro e Durasnal.
Pelo Decreto Estadual nº 7.199, de 31/03/1938, os distritos de Camaquã, Durasnal, Percequeiro e Seival são extintos e seus territórios são anexados ao distrito-sede do município de Caçapava como simples zona administrativa.
No quadro fixado para vigorar no período de 1939 a 1943, o município é constituído de Caçapava (zonas: Caçapava, Carajá, Cerro do Martim e Forninho) e Santana da Boa Vista.
Pelo Decreto-Lei Estadual nº 720, de 29/12/1944, o município toma a denominação de Caçapava do Sul.
No quadro fixado para vigorar no período de 1944 a 1948, o município de Caçapava do Sul é constituído de dois distritos: Caçapava do Sul e Santana da Boa Vista.
Pela Lei Estadual nº 5.029, de 17/09/1965, o distrito de Santana da Boa Vista é desmembrado de Caçapava do Sul e elevado à categoria de município.
Pela Lei Municipal nº 6, de 28/05/1969, são criados os distritos de Bom Jardim, Carajá Seival, Cerro do Martins, Forninho e Santa Bárbara e anexados ao município de Caçapava do Sul.
Em divisão territorial datada de 1º/01/1979, o município é constituído de seis distritos: Caçapava do Sul, Bom Jardim, Carajá Seival, Cerro do Martins, Forninho e Santa Bárbara.
Assim permanece em divisão territorial datada de 2020.

Fonte

CAÇAPAVA DO SUL (RS). Prefeitura. Disponível em: http://prefeitura.cacapava.net/portal/?i=1. Acesso em: 11 jul. 2017.
© 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística | v4.6.10