Aniversários dos Municípios
< Voltar
Selecionar local
Estados
Municípios
Todos
Por estado
Selecione o estado:
  • Acre
  • Alagoas
  • Amapá
  • Amazonas
  • Bahia
  • Ceará
  • Distrito Federal
  • Espírito Santo
  • Goiás
  • Maranhão
  • Mato Grosso
  • Mato Grosso do Sul
  • Minas Gerais
  • Paraná
  • Paraíba
  • Pará
  • Pernambuco
  • Piauí
  • Rio Grande do Norte
  • Rio Grande do Sul
  • Rio de Janeiro
  • Rondônia
  • Roraima
  • Santa Catarina
  • Sergipe
  • São Paulo
  • Tocantins
0 de 5570 municípios

Nenhum município encontrado.

Nenhum município encontrado.

Não há fotos para este município

História

ORIGEM DO NOME
 
      A  origem do nome do município se deve ao fato de que o sub solo da região é formado   por uma malha de tabatinga (barro lodoso ) que nas primitivas estradas tornavam-se pantanosas (com atoleiros), dificultando o movimento dos mais variados veículos, ficando por isso conhecido por  Pantano Grande.
O termo  ? pântano ? ( proparoxítona), na corruptela, passou a ser ?pantano? (paroxítona).
 
RESUMO HISTÓRICO (data) do Povoamento da região e da sede municipal:
Quando da posse da Fazenda do Espinilho, nas proximidades da hoje  cidade de Pantano Grande em 1917 pelo Sr. José Saldanha Ferreira, já havia alguns moradores, porém diz a sabedoria popular que em 1934, instalou-se a  2ª casa comercial de secos e molhados de propriedade do Sr. Pedro Nunes de Oliveira, onde instalou-se o 1º telefone, a 1ª rodoviária e oferecia pousada aos viajantes e tropeiros  que por aqui passavam.
Em 1936 foram criados os primeiros grandes açudes, iniciando-se extensas lavouras de arroz e consequentemente construção de Engenhos de arroz, considerada a primeira grande economia para a região. Esta atividade crescia e era fonte geradora de muitos empregos pois era praticamente tudo feito de forma manual. Como atividade arrozeira  durava aproximadamente de 04 a 05 meses,  ocasião em que era  dispensado novamente o pessoal de estiva, de corte e da parte industrial, sendo assim havia necessidade de explorar outros ramos, como corretivo de calcário e caulim abundantes no subsolo de Pantano Grande. Apartir de 1954, o comércio em si, começou a expandir-se, como  postos de combustíveis e lubrificantes, oficinas mecânicas e rede hoteleira.
Na década de 50, com a construção da BR 290 aconteceu  o  ? milagre  pantanense? onde tudo prosperava: foram criadas escolas, igrejas, água  encanada, embora precariamente.
Com o traçado e a construção das Rodovias: BR 290 ( Osorio / Uruguaiana ) e da BR 471 ( Santa  Cruz do Sul / Rio Grande ) , como já foi dito, o local passou a crescer de forma intensa e sendo responsável  por mais de 30% de arrecadação do município-mãe devido as jazidas de calcário, caulim, xisto betuminoso, barro refratário, abundantes no subsolo, bem como as atividades agropecuárias suportes de desenvolvimento na região.
Com o início da obra da construção das  Rodovias, começou a atrair pessoas para esta localidade. O fazendeiro José Saldanha Ferreira, senhor de grandes propriedades, contratou um Engenheiro para organizar um loteamento de uma  parte de suas terras e vender terrenos a preço acessível e com ótimas condições  de pagamento. O referido loteamento forma hoje a cidade de Pantano Grande.
Pantano Grande pertenceu a Rio Pardo, onde primeiramente foi conhecida como Vila pela  Lei n.º 21 de 30.11.66, porém em 20  de abril de 1967 a Lei n.º 22 revoga  a Lei de n.º 21 e Pantano Grande, passou a ser localidade do 5º distrito, denominado Distrito do Capivarita.
Alguns anos  mais tarde, com a retaliação do 5º Distrito pela  Lei  n.º 05 de 15.05.84, Pantano Grande passou a ser  o 10º distrito de Rio Pardo.  Os pantanenses desgostosos com  esta atitude dos mandatários do Município-mãe e obviamente sentindo-se prejudicados, iniciaram o Movimento Emancipacionista, cujo plebiscito aconteceu dia 20.09.87, onde o SIM  foi vitorioso com uma esmagadora vantagem.
© 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística | v4.3.22