Aniversários dos Municípios
< Voltar
Selecionar local
Estados
Municípios
Todos
Por estado
Selecione o estado:
  • Acre
  • Alagoas
  • Amapá
  • Amazonas
  • Bahia
  • Ceará
  • Distrito Federal
  • Espírito Santo
  • Goiás
  • Maranhão
  • Mato Grosso
  • Mato Grosso do Sul
  • Minas Gerais
  • Paraná
  • Paraíba
  • Pará
  • Pernambuco
  • Piauí
  • Rio Grande do Norte
  • Rio Grande do Sul
  • Rio de Janeiro
  • Rondônia
  • Roraima
  • Santa Catarina
  • Sergipe
  • São Paulo
  • Tocantins
0 de 5570 municípios

Nenhum município encontrado.

Nenhum município encontrado.

Fotos

Usina Junqueira : Município de Igarapava (SP) - 1957
Transporte de cana da Usina Junqueira (SP) - 1957
Rio Grande, na divisa de São Paulo com Minas Gerais (SP) - 1957
Rio Grande, na divisa de São Paulo com Minas Gerais : Ponte de ferro (SP) - 1957
Ponte sobre o Rio Grande (SP) - 1957
Cana : Município de Igarapava (SP) - 1957
Veja mais fotos

História

IGARAPAVA SÃO PAULO
HISTÓRICO
Bartolomeu Bueno da Silva Filho consolidou em 1722, a “Estrada dos Goyazes“, aberta por seu pai, o “ Anhengüera “, e obteve a concessão, em sociedade com seu genro, João Leite da Silva Ortiz, de uma sesmaria, junto à travessia do Rio Grande, Porto Espina, próximo à ilha Roberto ( Ilha Grande ).
Aventureiro fixaram-se na região em conseqüência da exploração do ouro, por volta de 1750, estabelecendo o “ corredor do ouro“. Com o declínio desse ciclo, muitos mineiros passaram a construir fazendas ao longo da Estrada dos Goyazes.
Com o devassamento dessa região, começaram a surgir algumas aldeias que, aos poucos, foram consolidando o aparecimento de cidades, tais como Vila Franca do Imperador ( Franca ) e Capela do Carmo ( Ituverava ).
Por volta de 1838, desentendimento políticos agitavam a Vila Franca do Imperador; o Capitão Anselmo Ferreira de Barcellos, descontente com os acontecimentos locais, adquiriu uma faixa de terras, junto à fazenda Soledade, nas margens do rio Grande. Alguns anos mais tarde, auxiliado pelo padre Zeferino Baptista Carmo, construiu, no pouso ali existente, uma capela em louvor a Santa Rita.
A imagem da Santa padroeira foi doada pelo padre Jerônimo Gonçalves de Macedo, fundador da fazenda vizinha, Paraíso. Daí o nome do povoado nascente: Santa Rita Paraíso.
A freguesia de Santa Rita do Paraíso foi criada em 1851 e elevado a vila, com prerrogativas de Município, em 1873, desmembrando-se de Franca.
Quando a Companhia Mogiana de Estrada de Ferro atingiu Uberaba, MG, em 1889, o movimento da Estrada Uberaba -Franca foi desviado para aquela cidade, paralisando o desenvolvimento de Santa Rita do Paraíso.
Seu crescimento somente foi retomado a partir de 1904, quando a ferrovia inaugurou uma estação na cidade.
Passando a possuir fácil comunicação com outros centros muitos imigrantes aí se fixaram, dando início à cultura cana-de-açúcar. Nessa época foi adotada a denominação de Igarapava que, em tupi-guarani, significa “ portos das canoas “ .

GENTÍLICO: IGARAPAVENSE
FORMAÇÃO ADMINISTRATIVA
Freguesia criada com a denominação de Santa Rita do Paraíso, por Lei Provincial nº 7, de 7 de abril de 1851, no Município de Franca.
Elevado a categoria de vila com a denominação de Santa Rita do Paraíso, por Lei Provincial no 51, de 14 de abril de 1873, desmembrado de Franca. Constituído do Distrito Sede. Sua instalação verificou-se no dia 20 de fevereiro de 1874.
Cidade por Lei Estadual n.º 1038, de 19 de dezembro de 1906.
Tomou a denominação de Igarapava por Lei Estadual nº 1097, de 4 de novembro de 1907.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o Município de Igarapava se compõe de 4 Distritos: Igarapava, Rifaina, Patrocínio de Buritis e Pedregulho.
Lei Estadual no 1829, de 21 de dezembro de 1921, desmembra do Município de Igarapava o Distrito de Pedregulho. A mesma Lei transfere do Município de Igarapava o Distrito de Rifaina indo seu território incoporar ao Município de Pedregulho.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1933, o Município de Igarapava se compõe de 2 Distritos: Igarapava e Buritis Ex-Patrocínio de Burítis.
Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, bem como no quadro anexo ao Decreto­lei Estadual nº 9073, de 31 de março de 1938, o Município de Igarapava compreende o único termo judiciário da comarca de Igarapava e se divide em 3 Distritos: Igarapava , Aramina e Buritis.
No quadro fixado, pelo Decreto Estadual n.º 9775, de 30 de novembro de 1938, para 1939-1943, o Município de Igarapava é composto dos Distritos de Igarapava, Aramina e Buritis- e é termo da comarca de Igarapava, formada de 1 só termo Igarapava, o qual se compõe de 2 Municípios: Igarapava e Pedregulho.
Em virtude do Decreto-lei Lei Estadual nº 14334, de 30 de novembro de 1944, que fixou o quadro territorial para vigorar em 1945-1948, o Município de Igarapava ficou composto dos Distritos de Igarapava, Aramina e Buritizal (Ex-Buritis), e constitui o único termo judiciário da comarca de Igarapava, a qual é formada pelos Municípios de Igarapava e Pedregulho.
Figura com os Distritos de Igarapava, Aramina e Buritizal no quadro territorial fixado pela Lei Estadual nº 233, de 24-XII-1948 para 1949-53, comarca de Igarapava e apenas com os Distritos de Igarapava e Aramina, comarca de Igarapava.
Lei Estadual no 2456, de 30 de dezembro de 1953, desmembra do Município de Igarapava o Distrito de Buritizal.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 2 Distritos: Igarapava e Aramina.
Lei Estadual nº 8092, de 28 de fevereiro de 1964, desmembra de Município de Igarapava o Distrito de Aramina.
Em divisão territorial datada de 01-VI-1995, o município é constituído do Distrito Sede.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 15-VII-1999.

Fonte

IBGE
© 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística | v4.3.26.1