Aniversários dos Municípios
< Voltar
Selecionar local
Estados
Municípios
Todos
Por estado
Selecione o estado:
  • Acre
  • Alagoas
  • Amapá
  • Amazonas
  • Bahia
  • Ceará
  • Distrito Federal
  • Espírito Santo
  • Goiás
  • Maranhão
  • Mato Grosso
  • Mato Grosso do Sul
  • Minas Gerais
  • Paraná
  • Paraíba
  • Pará
  • Pernambuco
  • Piauí
  • Rio Grande do Norte
  • Rio Grande do Sul
  • Rio de Janeiro
  • Rondônia
  • Roraima
  • Santa Catarina
  • Sergipe
  • São Paulo
  • Tocantins
0 de 5570 municípios

Nenhum município encontrado.

Nenhum município encontrado.

Fórum : Itararé, SP - [19--]
Banespa S. A. : Itararé, SP - [19--]
Igreja Matriz [Nossa Senhora da Conceição : Praça Coronel Jordão] : Itararé, SP - [19--]
[Escola Estadual] Tome Teixeira : Itararé, SP - [19--]
Câmara Municipal : Itararé, SP - [19--]
Paço Municipal : Itararé, SP - [19--]

História

ITARARÉ SÃO PAULO
HISTÓRICO
Os caminhos dos campos de São Pedro de Itararé já eram conhecidos dos tropeiros e condutores de gado, desde 1693, e era aí o ponto obrigatório de trânsito e pouso, daqueles que se dirigiam para alcançar São Pedro do Rio Grande do Sul ou aqueles que procuravam a feira anual de animais que se realizava em Sorocaba. Os campos foram também cortados no bandeirantismo e constituíam passagens para os predadores dos índios guaianazes.
A primeira sesmaria concedida nos Campos de São Pedro, foi a Luiz Pedroso de Barros, em 1725,coube a esse sesmeiro a segunda sesmaria, também no mesmo ano. Á D.ª Maria de Almeida Leite foi cedida em 1788, a terceira sesmaria. Estas, reunidas, constituíram a fazenda São Pedro que, por herança e venda, passou a outros proprietários, entre eles Brigadeiro Rafael Tobias de Aguiar e sua mulher, D.ª Domitila de Castro Canto e Melo Aguiar - Marquesa de Santos.
Paralelamente a aquisição de Tobias de Aguiar, iniciava José Fructuoso Pimentel, mineiro de freguesia de Sant’Ana do Sapucaí (atual Silvianópolis - MG), acompanhado de mulher e filhos, entrou nos sertões do Rio Verde, ao norte das sesmarias. Próximo à confluência do Rio Verde, a família Pimentel assentou sua fazenda e, auxiliado pelo Cel. João da Silva Machado, Barão de Antonina, foi a primeira a plantar café na região. Iniciou-se assim o povoamento dos Campos de São Pedro de Itararé.
Em 1820, foi constatado por Saint Hilaire, naturalista Francês, a existência de um pequeno povoado, chamado Itararé, à margem esquerda do córrego da Prata e a direita da estrada que naquele tempo seguia rumo as regiões do Sul - Vila de Curitiba. A aldeia de Itararé tinha o mesmo nome do rio que passa em sua vizinhança o Rio Itararé, que segundo Ruiz de Montoya, é topônimo de origem tupi, que significa “ pedra que o rio escavou” ( de fato o Rio Itararé se apresenta com seu leito subterrâneo escavado pelas águas do rio, tendo seu curso, vorazes sumidouros).
A formação histórica de Itararé data de 1879, com a primeira doação da terras para a construção da capela, quando ainda era apenas um povoado.
A construção da capela de Nossa Senhora da Conceição, na colina em cuja vertente estava o povoado, foi iniciada pelos fundadores de Itararé, Major João de Almeida Queiroz e Cônego Sizenado, vigário de Itapeva da Faxina, de comum acordo entre os habitantes do lugar, em maio de 1880. Em janeiro seguinte foi rezada a primeira missa da capela, que logo foi elevada a curato. Foi traçado o primeiro arruamento e, aos poucos, foram construídas as primeiras casas na colina.
Distrito criado com a denominação de Nossa Senhora da Conceição do itararé por Lei Provincial no 36, de 10 de março de 1885.

GENTÍLICO: ITARARENSE
FORMAÇÃO ADMINISTRATIVA
Freguesia criada com a denominação de Itararé, por Lei Provincial no 36, de 10 de março de 1885, no Município de Pederneiras.
Elevado a categoria de vila com a denominação de São Pedro do itararé por Lei Estadual no 197, de 28 de agosto de 1893, desmembrado de Faxina. Constituído do Distrito Sede. Sua instalação verificou-se no dia 30 de novembro de 1893.
Cidade por Lei Municipal de 7 de setembro de 1901.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1911, o Município de Itararé se compunha do Distrito Sede.
Lei Estadual no 1887, de 08 de dezembro de 1922, o município simplificou sua denominação para Itararé.
Assim permanecendo em divisão administrativa referente ao ano de 1933.
Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937, bem como no quadro anexo ao Decreto­lei Estadual n.º 9073, de 31 de março de 1938, o Município de Itararé compreende o único termo judiciário da comarca de Itararé e figura com Distrito Sede.
No quadro fixado, pelo Decreto Estadual nº 9775, de 30 de novembro de 1938, para vigorar 1939-1943,
o Município de Itararé é composto de 1 único Distrito: Itararé e é termo da comarca de Itararé, formada de 1único termo, Itararé.
Em virtude do Decreto-lei Estadual nº 14334, de 30 de novembro de 1944, que fixou o quadro territorial para vigorar em 1945-1948, o Município de Itararé ficou composto de 1 Distrito, Itararé e constitui o único município e o único termo judiciário da comarca de Itararé.
Permanece composto apenas de 1 Distrito, Itararé, comarca de Itararé, nos quadros territoriais fixados pelas Leis Estaduais nºs 233, de 24-XII-1948 e 2456, de 30-XII-1953 para vigorar, respectivamente, nos períodos 1949-1953 e 1954-1958.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 01-VII-1960.
Lei Estadual no 4954, de 27 de dezembro de 1985, cria os Distritos de Pedra Branca do Itararé e Santa Cruz dos Lopes e incorpora ao Município de Itararé.
Em divisão territorial datada de 01-VI-1995, o município é constituido de 3 Distritos: Itararé, Pedra Branca de Itararé e Santa Cruz dos Lopes.
Assim permanecendo em divisão territorial datada de 15-VII-1999.

ALTERAÇÕES TOPONÍMICAS MUNICIPAIS
São Pedro do Itararé para Itararé, teve sua denominação alterada por força da Lei Estadual nº 1887, de 08 de dezembro de 1922.

Fonte

IBGE
© 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística | v4.3.18.4