Aniversários dos Municípios
< Voltar
Selecionar local
Estados
Municípios
Todos
Por estado
Selecione o estado:
  • Acre
  • Alagoas
  • Amapá
  • Amazonas
  • Bahia
  • Ceará
  • Distrito Federal
  • Espírito Santo
  • Goiás
  • Maranhão
  • Mato Grosso
  • Mato Grosso do Sul
  • Minas Gerais
  • Paraná
  • Paraíba
  • Pará
  • Pernambuco
  • Piauí
  • Rio Grande do Norte
  • Rio Grande do Sul
  • Rio de Janeiro
  • Rondônia
  • Roraima
  • Santa Catarina
  • Sergipe
  • São Paulo
  • Tocantins
0 de 5570 municípios

Nenhum município encontrado.

Nenhum município encontrado.

Não há fotos para este município

História

O fundador de Jaboticabal, João Pinto Ferreira, nasceu por volta de 1778, na Freguesia de Santo Estevão de Regadas, Conselho Celorico de Bastos, em Portugal.
Em 2 de dezembro de 1816, adquiriu a posse de João Rodrigues de Lima das terras relativas à Fazenda Cachoeira, mais tarde denominada de Fazenda Pintos, onde começou a ser edificada a cidade de Jaboticabal.
Como primeiro possuidor daquelas terras, João Rodrigues de Lima devia ter entrado para o sertão por volta de 1809, porque na escritura de venda, ele e sua mulher Joana Eufrosina de Jesus se dizem senhores e possuidores de “uma sorte de terras, composta e campos e matas virgens, cerrados e capoeiras, e uma casa de morada, paiol, monjolo e rego d’água, currais e seus pertences e árvores de espinhos, bananeiras de seis ou sete anos, de posse atual, sem contradição de pessoa alguma nesta paragem denominada Ribeirão da Cachoeira”.
Povoadas as terras da fazenda, verificou-se a dificuldade de comunicação com o povoado de São Bento de Araraquara (o mais próximo, 12 léguas da fazenda), não só pelas famílias que vieram a constituir seus numerosos descendentes, mais ainda pelas famílias de agregados que, segundo o costume do tempo, eram sempre bem recebidos por constituírem elementos de defesa contra eventual invasão de intrusos e por todos aqueles a quem Pinto e os seus fizeram as primeiras vendas de terras do grande latifúndio.
Cogitou, então, Pinto Ferreira de fundar uma povoação dentro de suas terras, doando para isso a Nossa Senhora do Carmo, uma gleba cujo perímetro envolve a nascente do Córrego Jaboticabal, na qual e à margem direita deste edificou, uma pequena igreja, coberta com folhas de palmeira.
Em 1848, Jaboticabal é elevada a Distrito de Paz.
Em 1857, a Assembléia Legislativa Provincial eleva o Curato de Jaboticabal à Freguesia. Trinta e nove anos após sua fundação, em 1867, Jaboticabal é elevada à categoria de vila, desmembrando-se de Araraquara. Também neste ano, em 7 de outubro, faleceu João Pinto Ferreira, sepultado no cemitério da Vila de Jaboticabal, atual Praça 9 de Julho, no centro da cidade.
Em 1868 é instalada a Câmara dos Vereadores e em 1894 a sede do município recebe foros de cidade.
A expansão da cafeicultura para o oeste do Estado de São Paulo, na segunda metade do século XIX, além da implantação das ferrovias, foram os marcos do desenvolvimento da região.
Em 1872, a população local era de 5.269 habitantes. Em 1886, atingia 26.224 habitantes.
A primeira metade do século XX foi marcada pelo predomínio da imigração, com destaque para os italianos, portugueses, espanhóis e japoneses.
Com base econômica na agricultura, Jaboticabal se destacou como importante centro regional nas atividades industriais, comerciais, bancárias e de prestação de serviços.
Esta fase do início do século XX foi a mais importante no setor econômico, deixando marcos na arquitetura da cidade, apresentando casas e prédios públicos ainda em uso.
As indústrias de alimentação se destacavam regionalmente, juntamente com a cerâmica, fábricas de louças e olarias. Na década de 30, Jaboticabal tornou-se um importante centro regional, sendo conhecida como 'Athenas Paulista' pela grande atividade cultural.
Com a decadência da cafeicultura, ocorrida a partir da depressão dos anos 30, Jaboticabal enfrentou a estagnação econômica, perdurando até o começo dos anos 50.
Como mecanismo de reativação econômica, o município procurou diversificar sua lavoura, destacando-se o algodão, o amendoim, o arroz e o milho.
A partir dos anos 50, a cana-de-açúcar adquiriu importância crescente, transformando-se na principal atividade econômica do município, particularmente na produção de álcool e açúcar.
Outra modificação marcante ocorrida foi o êxodo rural. Nos anos 50, 60 e 70, a população urbana representou 48%, 61% e 76% da população total do município, respectivamente, caracterizando uma intensa urbanização.

Formação Administrativa

Distrito criado com a denominação de Jaboticabal, pela Lei Provincial n.º 43, de 30-04-1857.
Elevado à categoria de município, com a denominação de Jaboticabal, pela Lei Provincial n.º 10, de 05-07-1867, sendo desmembrado do município de Araquara. Sede no atual distrito de Jaboticabal. Constituído do distrito sede. Instalado em 03-02-1868.
Elevado à condição de cidade com a denominação de Jaboticabal, pela Lei Municipal n.º 14, de 06-10-1894.
Pela Lei Estadual n.º 663, de 06-09-1899, é criado o distrito de São Sebastião do Turvo e anexado ao município de Jaboticabal.
Pela Lei Estadual n.º 873, de 09-09-1903, é criado o distrito de Taiaçu e anexado ao município de Jaboticabal.
Pela Lei Estadual n.º 917, de 03-08-1904, é criado o distrito de Guariba e anexado ao município de Jaboticabal.
Pela Lei Estadual n.º 1.143, de 25-11-1908, é criado o distrito de Taiúva e anexado ao município de Jaboticabal.
Em divisão administrativa do Brasil referente ao ano de 1911, o município é constituído de 5 distritos: Jaboticabal, Guariba, São Sebastião do Turvo, Taiaçu e Taiúva.
Pela Lei Estadual n.º 1.402, de 23-12-1913, é criado o distrito de Pirangi e anexado ao município de Jaboticabal.
Pela Lei Estadual n.º 1.493, de 29-12-1915, o distrito de São Sebastião do Turvo passou a chamar-se Irupí.
Pela Lei Estadual n.º 1.562, de 06-11-1917, é desmembrado do município de Jaboticabal o distrito de Guariba, elevado à categoria de município.
Pela Lei Estadual n.º 1.575, de 14-12-1917, é criado o distrito de Córrego Rico e anexado ao município de Jaboticabal.
Nos quadros de apuração do Recenseamento Geral de 1-IX-1920, o município é constituído de 6 distritos: Jaboticabal, Córrego Rico, Irupi, Pirangi, Taiaçu e Taiúva.
Pela Lei Estadual n.º 1.997, de 18-12-1924, é criado o distrito de Vila Novais e anexado ao município de Jaboticabal.
Pela Lei Estadual n.º 6.034, de 17-08-1933, o distrito de Irupi passou a denominar-se Vila Paraíso.
Em divisão administrativa referente ao ano de 1933 o município é constituído de 7 distritos: Jaboticabal, Córrego Rico, Pirangi, Taiaçu, Taiuva, Vila Novais e Vila Paraíso.
Pelo Decreto n.º 6.609, de 16-08-1934, é criado o distrito de Lusitânia e anexado ao município de Jaboticabal.
Pelo Decreto n.º 6.977, de 07-03-1935, são desmembrados do município de Jaboticabal os distritos Pirangi e Vila Paraíso, para constituírem o novo município de Pirangi.
Pelo Decreto Estadual n.º 6.998, de 07-03-1935, é criado o distrito de Ibitirama e anexado ao município de Jaboticabal.
Em divisões territoriais datadas de 31-XII-1936 e 31-XII-1937 o município é constituído de 6 distritos: Jaboticabal, Córrego Rico, Ibitirama, Luisitânia, Taiaçu, Taiúva. Não figurando o distrito de Vila Novais.
Pelo Decreto Estadual n.º 9.775, de 30-11-1938, é extinto o distrito de Ibitirama, sendo seu território anexado ao distrito sede do município de Jaboticabal.
Pela Lei Estadual n.º 233, de 24-12-1948, desmembra do município de Jaboticabal o distrito de Taiúva, elevado à categoria de município.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1950, o município é constituído de 4 distritos: Jaboticabal, Córrego Rico, Lusitânia e Taiaçu.
Pela Lei Estadual n.º 2.456, de 30-11-1953, desmembra do município de Jaboticabal o distrito de Taiaçu, elevado à categoria de município.
Em divisão territorial datada de 1-VII-1960, o município é constituído de 3 distritos: Jaboticabal, Córrego Rico e Lusitânia. Assim permanecendo em divisões territoriais datada de 2014.

Fonte

Jaboticabal (SP). Prefeitura. 2015. Disponível em: http://www.jaboticabal.sp.gov.br/2010/index.php/conteudo/listar/22/historia. Acesso em: jul. 2015.
© 2017 IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística | v4.3.18.4